BELO HORIZONTE - Oito cidades mineiras estão em situação de risco de uma epidemia de dengue, segundo indicou Levantamento Rápido de Índices de Infestação para Aedes aegypti (LIRAa) do início de 2009. Os dados, captados em 25 municípios do Estado, indicam um índice de infestação de 3,9% (porcentual que indica surto da doença) em Belo Horizonte, Coronel Fabriciano, Governador Valadares, Ipatinga, Montes Claros, Sete Lagoas, Timóteo e Vespasiano.

Ainda em situação de alerta, o levantamento aponta mais 13 municípios, que revelam índices entre 1% e 3,8% (situação de alerta).

Segundo a secretaria de Saúde do Estado, duas cidades apresentam números positivos, ou seja, com índices menores a 1% (sem riscos). Os dados mostram ainda que 85% dos focos de dengue em Minas se concentram em áreas residenciais. O levantamento realizado pelo LIRAa analisa amostras captadas em áreas residenciais e comerciais. Por meio delas, é calculado um índice de infestação trimestral nacional e estadual.

Para combater a dengue, o Ministério da Saúde liberou, no final do ano passado, R$ 128 milhões para auxiliar Estados e municípios. Desse montante, R$ 15 milhões foram enviados a Minas, sendo que 80%, ou R$ 12 milhões, estão sendo investidos nos 85 municípios considerados prioritários (Belo Horizonte, Betim, Contagem, Governador Valadares, Ipatinga, Teófilo Otoni, Uberaba, Uberlândia, dentre outros), que foram responsáveis por cerca de 80% dos casos notificados no Estado.

Apesar do risco de epidemia de dengue, a secretaria de Saúde do Estado espera uma redução nos casos da doença este ano, em comparação a 2008. A assessoria do órgão destaca que no ano passado já foi registrada queda de 2,6% em comparação a 2007. Dos 16.349 casos registrados no Estado entre janeiro e julho de 2008, 21% deles, 3.439, ocorreram em Belo Horizonte. O Estado apresentou três óbitos no mesmo período.

Leia também:

Leia mais sobre: dengue

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.