Odebrecht: País tem de investir em educação e ciência

O presidente do Conselho de Administração do Grupo Odebrecht, Emílio Odebrecht, afirmou hoje que só a reforma política poderá garantir ao País as condições necessárias para sua sustentabilidade no futuro. O executivo também disse que é importante o Brasil investir em educação, em ciência e tecnologia para poder alcançar esse objetivo de sustentabilidade.

Agência Estado |

"O que mais precisamos é a reforma política, o resto é consequência", afirmou Odebrecht, que participa do Forum Especial "Na Crise - Esperança e Oportunidade, Desenvolvimento como o Sonho Brasileiro, Oportunidade para as Favelas", que acontece na sede do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Odebrecht também destacou que não tem dúvida alguma que o pré-sal vai gerar mais riqueza para a sociedade brasileira.

Também presente ao evento, o economista-chefe da Siemens e professor da PUC-SP, Antonio Correia de Lacerda, defendeu investimentos anuais de R$ 160 bilhões em energia, saneamento, logística e transporte como forma de viabilizar a sustentabilidade da economia brasileira no futuro. Ele destacou o que considera bom no desempenho da economia durante a crise, conquistado graças à redução da vulnerabilidade externa.

O presidente da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), Humberto Barbato, por sua vez, afirmou durante o fórum que atualmente a indústria eletroeletrônica responde por 4,3% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro. Ele acredita que até 2020 esse porcentual salte para 7% do PIB. Para alcançar esse objetivo, Barbato afirmou que é necessário agregar maior valor aos produtos industrializados no País.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG