A ampliação da Marginal do Tietê deixou a via no escuro. À medida que as escavações avançam no canteiro central, os postes de iluminação vão sendo retirados.

A operação afetou a rede que alimentava a energia dos dois lados da Marginal, desligando também os postes instalados ao longo das laterais da pista local, segundo o Departamento de Iluminação Pública (Ilume), da Secretaria Municipal de Serviços.

A falta de luz agrava ainda mais outro problema: os desvios e bloqueios feitos no trânsito por causa da movimentação de caminhões nos canteiros da obra. O motorista obrigado a parar ou a reduzir a velocidade da viagem na Marginal entre as 23 horas e as 4 horas se sente ainda mais inseguro em meio à escuridão.

Quando o governo do Estado anunciou o início das obras, em junho, o secretário de Transportes Metropolitanos, Mauro Arce, afirmou que ela não iria afetar a rotina dos paulistanos. A empresa Desenvolvimento Rodoviário S.A. (Dersa), responsável pelas intervenções, diz que o desligamento já estava previsto no projeto inicial e a iluminação será refeita quando a obra estiver concluída. A Dersa destaca que todos os problemas de iluminação deverão estar sanados em março.

Desde o início de julho, as pistas expressa e local passaram, gradualmente, a ficar sem luz em vários trechos. Nesta semana, a reportagem percorreu toda a extensão da Marginal do Tietê, após as 22 horas, nos dois sentidos (Ayrton Senna e Castelo Branco) e contou 229 postes apagados. Em alguns trechos, a iluminação é alternada com postes apagados e acesos.

Congestionamento

Motoristas que trafegam pela Marginal do Tietê depois das 23 horas e até as 4 horas têm enfrentado frequentes congestionamentos e lentidão. Os problemas são causados por bloqueios, desvios ou estreitamento de pista, por causa de quatro obras que estão sendo feitas ao mesmo tempo: ampliação da Marginal, do Complexo Anhanguera e do Cebolão, além de reparos na Ponte do Limão.

Entre o dia 1º de julho e a segunda-feira desta semana, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) interditou a Marginal do Tietê à noite, a pedido da empresa Desenvolvimento Rodoviário S.A. (Dersa), responsável pelas obras. Houve 13 paradas para a implementação do projeto da Nova Marginal. Na 14ª vez nesse período, a interdição ocorreu no acesso da Avenida Santos Dumont para a Marginal do Tietê.

A Companhia de Engenharia de Tráfego afirmou que optou, após análises realizadas com a Dersa, em fazer as interdições na Marginal no período noturno, pois os reflexos no trânsito seriam ainda maiores durante o dia. O órgão esclarece que todas as interdições de vias para obras programadas são anunciadas e divulgadas com a antecedência necessária e de acordo com a programação de cada empreiteira. Intervenções pontuais, de curta duração, são avisadas no mesmo dia, porque dependem do andamento da obra, afirma a CET.

Já intervenções mais longas são avisadas com 48 horas de antecedência. Além de contar com a divulgação pela mídia, o órgão afirma ter instalado cerca de 60 faixas informativas sobre a execução de obras na via para orientação dos motoristas que acessam a Marginal do Tietê. Também são utilizados 12 painéis eletrônicos de mensagens instalados ao longo das duas marginais. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.