BRASÍLIA (Reuters) - Em telefonema ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que está em Roma, o presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, disse na noite desta terça-feira que o debate sobre a crise financeira global extrapola o G8 e tem que ser feito num fórum ampliado. Obama teria destacado que o Brasil é um ator fundamental nesse debate, segundo informações da secretaria de imprensa do Palácio do Planalto.

O presidente eleito dos EUA retornou ligação feita por Lula após a vitória nas eleições do dia 4.

Lula considerou que a conversa telefônica de 15 minutos foi muito boa e que Obama demonstrou conhecimento da realidade brasileira. Segundo o relato de Lula, Obama reconheceu os esforços do governo brasileiro em relação ao crescimento econômico, a programas sociais e ao uso de energia renovável.

Ainda de acordo com Lula, Obama teria destacado a importância do Brasil no cenário internacional e o papel do país nas discussões sobre a crise financeira global.

O presidente brasileiro convidou Obama para vir ao Brasil e disse que deseja manter com ele as relações muito boas que tem com o atual presidente George W. Bush. Lula também manifestou a Obama o interesse de aprofundar o diálogo sobre a América Latina e sobre a reforma da ONU.

Obama disse a Lula que ficará em Chicago durante a reunião do G20 em Washington, no próximo dia 15. No fim da conversa, o presidente eleito dos EUA lembrou a Lula que foi aluno do ministro Mangabeira Unger (Assuntos Estratégicos) na Universidade Harvard.

(Reportagem de Fernando Exman)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.