OAB se manifesta contra absolvição no caso Dorothy

O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil(OAB), Cezar Britto, manifestou-se hoje contra a absolvição, por cinco votos a dois, do fazendeiro Vitalmiro Bastos de Moura, o Bida, acusado de ter encomendado a morte da missionária norte-americana Dorothy Stang. Bida foi absolvido em segundo julgamento, concluído ontem, depois de ter sido condenado à pena máxima (30 anos de cadeia) no primeiro julgamento.

Agência Estado |

"Um júri condena na pena máxima e o outro absolve completamente. Essa diferença pode e deve ser corrigida pelo Tribunal na segunda instância", afirmou Britto.

Para acusar o fazendeiro, a promotoria se baseou em depoimentos anteriores do pistoleiro Rayfran Sales e do suposto intermediador do crime, Amair Feijoli Cunha, o Tato, condenados, respectivamente, a 28 e 18 anos de prisão. Eles haviam acusado Vitalmiro de ser o mandante do crime. Porém, no segundo julgamento de Vitalmiro, os dois condenados negaram que o crime tivesse um mandante, levando o juiz a determinar que o fazendeiro fosse colocado em liberdade.

O presidente da OAB em São Paulo, Luiz Flávio Borges D'Urso, se reuniu na manhã de hoje com David Stang, irmão de Dorothy, para dizer que a entidade é solidária à família da missionária norte-americana. "Vamos entrar em contato com a OAB do Pará para pedir uma cópia do processo e verificar a possibilidade de termos um representante da Ordem como assistente de acusação em um novo julgamento", afirmou D'Urso. "Daremos todo apoio para que a justiça seja concretizada", disse.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG