OAB quer vetar juiz suspeito por corrupção na advocacia

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) quer barrar o ingresso na advocacia de magistrados suspeitos de corrupção. A entidade estuda medidas para impedir que juízes afastados das funções por improbidade ou delito grave possam receber registro na OAB para exercer papel de advogado.

Agência Estado |

"Se não serve para ser juiz não servirá para ser advogado", declarou Ophir Cavalcante, presidente nacional da entidade.

Ophir submeterá a proposta ao Colégio de Presidentes de Seccionais da OAB, que vai se reunir domingo na sede do Conselho Federal do órgão, em Brasília. O veto ganhou força a partir do julgamento do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) que decretou aposentadoria compulsória para três desembargadores e sete juízes do Mato Grosso envolvidos em suposto desvio de R$ 1,4 milhão do Tribunal de Justiça (TJ) estadual. O dinheiro teria sido destinado para uma loja maçônica da qual era grão-mestre um ex-presidente da corte.

"Vamos construir uma barreira para impedir que o cidadão corra o risco de ser prejudicado em sua vida por inescrupulosos que deveriam dar exemplo de ética e retidão e foram expulsos da magistratura e podem futuramente bater às portas da Ordem", disse o presidente da OAB. "Espero que encontrem fechadas essas portas." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo .

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG