OAB quer que PF investigue desaparecimentos em GO

O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ophir Cavalcante, entregará amanhã, em Brasília, um pedido formal ao ministro da Justiça, Tarso Genro, para que a Polícia Federal (PF) ingresse nas investigações sobre o desaparecimento de seis jovens de Luziânia (GO), cidade a 66 quilômetros de Brasília. Em companhia das mães dos garotos desaparecidos, Cavalcante fará um apelo ao ministro para que intervenha junto ao governo de Goiás sobre a participação da PF no caso.

Agência Estado |

"Faremos um apelo para que o ministro use todo o seu poder de persuasão. É o momento de somar forças e buscar soluções", ressaltou.

À frente das investigações, a Polícia Civil de Goiás descartou a ajuda federal no final de janeiro, considerando-a precipitada, e defendeu a atuação da forças estaduais no caso. O presidente da OAB evitou polemizar sobre a decisão da polícia goiana, fazendo questão de esclarecer que não defende uma intervenção da PF no caso, apenas "uma soma de esforços". "Não queremos que o governo federal assuma as investigações. A ideia não é retirar a polícia estadual do caso, mas acrescentar às investigações a experiência da PF", afirmou. "Neste momento, as vaidades devem ser colocadas de lado em nome de um bem maior."

Cavalcante destacou que têm sido insuficientes as informações prestadas às famílias dos desaparecidos, que estão em pânico devido ao longo sumiço dos jovens. "Não se está tendo o cuidado de informar as famílias. A participação da PF é uma forma de acalmar as mães dos garotos. Se eu tivesse o meu filho envolvido, por exemplo, ia fazer questão de contar com toda a ajuda do mundo", disse. O pedido formal que será entregue ao ministro partiu do ex-presidente da OAB em Goiás, Miguel Cançado, em razão do apelo das famílias dos jovens. Na sexta-feira, parentes e amigos das vítimas fizeram um protesto em Brasília pedindo a participação da PF nas investigações.

Também na semana passada, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que apura o desaparecimento de crianças e adolescentes no Brasil aprovou requerimento para que a PF participe das investigações sobre o sumiço dos jovens. O presidente da Câmara, deputado Michel Temer (PMDB-SP), se reuniu com as mães dos desaparecidos e prometeu empenho da Casa na elucidação do caso. Para que a PF participe das investigações, a Secretaria de Segurança Pública do Estado deve autorizar a ajuda. Até o momento, o governo estadual não enviou pedido ao governo federal.

Os seis jovens, entre 13 e 19 anos, todos moradores de um bairro da periferia de Luziânia, estão sumidos desde o início de janeiro. Nos seis casos, as vítimas desapareceram no final da tarde. O Ministério Público considera a situação grave e não descarta a hipótese de que haja um grupo de extermínio agindo na região. "Não é a primeira vez que esse tipo de violência contra jovens atinge essa região e eu temo que não seja a última", afirmou o promotor de Justiça Ricardo Rangel de Andrade.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG