OAB quer prisão de responsáveis por grampos

BRASÍLIA - O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Cezar Britto, disse neste domingo que os responsáveis pelos grampos ilegais feitos contra o Supremo Tribunal Federal (STF), o Senado e ministros da República devem ser presos. Sem citar diretamente a Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Britto disse que a exoneração do serviço público não basta, pois este é um caso para prisão.

Severino Motta - Último Segundo/Santafé Idéias |


O advogado afirmou que lhe parecia uma "figura de retórica" as informações que davam conta de grampos contra o presidente do Supremo, ministro Gilmar Mendes. Mas, com trechos transcritos das conversas interceptadas, a situação sai do plano imaginário e denuncia o "estado policialesco que existe no Brasil".

Britto destacou o poder de chantagem promovido pela interceptação telefônica. Para ele, não será uma surpresa se o conteúdo de conversas restritas forem usados para forçar a aprovação de projetos de Lei e até mesmo para pedir absolvição de criminosos.

"Podem usar as conversas para chantagear senadores e até mesmo juízes, dizendo que, caso não solte determinada pessoa, faço uma denúncia com o conteúdo dos grampos", lamentou.

Cezar Britto disse, ainda, que vai esperar a reunião entre os ministros do Supremo, marcada para esta segunda-feira, para envolver a OAB na luta contra o grampeamento generalizado que existe no Brasil. "Temos que unir esforços para impedir que o Brasil se transforme num grande Big Brother", pontuou.

Leia mais sobre: grampos

    Leia tudo sobre: grampos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG