OAB diz que espionar presidente do STF é um escândalo

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Cezar Britto, afirmou que a espionagem nos telefones do presidente do STF, Gilmar Mendes, e de outros políticos brasileiros é simplesmente intolerável.

Agência Estado |

Para ele, "espionar a mais alta autoridade do Poder Judiciário, o ministro Gilmar Mendes, é um escândalo que dispensa adjetivos. Ultrapassa as piores expectativas".

Britto disse que a OAB vem denunciando o "estado de bisbilhotice" que tem ocorrido no País, e que fez isso até na cerimônia de posse do atual presidente do Supremo. Ainda de acordo com Cezar Britto, hoje os grampos atingem praticamente todo o espectro político. "Vai da base parlamentar governista à oposição. Espiona ministros, assessores do presidente da República, o presidente do Senado e chega ao extremo de se envolver na sucessão à Presidência daquela casa legislativa".

"Qual o sentido de a Abin espionar o senador Tião Viana? Quer saber sua estratégia de campanha? Para quê? Está a serviço de outro candidato? E por que espiona o líder da oposição, senador Arthur Virgílio? E o ex-ministro José Dirceu?", foram as perguntas feitas pelo presidente da OAB. Para ele, elas revelam o grau de insegurança jurídica e baixeza institucional que "tais aberrações produzem, reeditando os piores momentos da ditadura militar".

Leia mais sobre: escutas telefônicas

    Leia tudo sobre: gramposstf

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG