OAB diz que Congresso não quer reforma política

BRASÍLIA - O representante do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Marcelo Lavenère, disse nesta terça-feira, durante audiência pública sobre a reforma política, que o Congresso Nacional não quer votar o tema. De acordo com ele, caso quisesse, já o teria feito no ano passado. O advogado alegou que, para o sucesso da reformulação do sistema eleitoral, será necessária pressão da sociedade e empenho do governo.

Severino Motta - Último Segundo/Santafé Idéias |

Acordo Ortográfico

"O congresso quer votar a reforma política? Não quer. Por que digo isso aqui ofendendo os deputados? Por que se quisessem, teriam votado ano passado. Se cada deputado tem uma proposta de reforma, como disse o deputado Adão Pretto, é porque não querem uma reforma política", disse.

Lavenère destacou a necessidade do governo em "promover um milagre" unindo sua base para a votação da reforma. Para ele, o Executivo, que deu os primeiros sinais de que quer a reforma, enviando o projeto ao Congresso, deve liderar a gestão política.

Por fim o advogado destacou a participação popular. Citou a Constituição de 1988, que para ele não teria acontecido sem a pressão popular. "Sem o povo é como fazer omelete sem ovo".

Ao destacar a frase fez um mea culpa, e disse que tanto a OAB quanto os movimentos sociais e a classe estudantil não estão empenhados na bandeira da reforma política. "A sociedade civil não está empenhada o suficiente neste tema", pontuou.

Leia mais sobre: reforma política

    Leia tudo sobre: reforam política

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG