OAB anula 2ª fase de exame por suspeita de vazamento

O Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) anunciou hoje que decidiu anular a segunda fase do Exame de Ordem, realizado no último domingo, 28, por suspeita de vazamento. A decisão foi tomada pelo Colégio de Presidentes das 27 Seccionais da Ordem, durante uma reunião promovida na sede do Conselho Federal, em Brasília.

Agência Estado |

A prova foi remarcada para o dia 11 de abril.

Ao todo, 23 presidentes votaram pela anulação total da segunda fase, 2 pela anulação parcial e 1 se absteve. "Lamentavelmente tivemos de enfrentar essa situação de que houve irregularidade no Exame de Ordem e a quase totalidade dos presidentes optou pela anulação dessa segunda fase, o que traz transtornos para os candidatos e para a instituição. Mas, a credibilidade do Exame de Ordem estava em jogo e isso nos levou à anulação", afirmou Luiz Flávio Borges D'Urso, presidente da OAB-SP, que votou pela anulação da segunda fase.

A suspeita de vazamento surgiu durante aplicação da prova de Direito Penal da segunda fase do Exame de Ordem Unificado, na cidade de Osasco, na Grande São Paulo, quando um candidato foi flagrado com um código que continha folhas com as respostas da prova.

O caso está sendo investigado pela Polícia Federal a pedido da OAB. Uma sindicância também foi aberta pelo Centro de Seleção e Promoção de Eventos da Universidade de Brasília (Cespe/UnB), que realiza o exame em parceria com a instituição.

Ao todo, 18,7 mil candidatos prestaram as provas em todo o País. Desse total, 4.779 bacharéis eram de São Paulo. A prova prático-profissional, que inclui redação de peça jurídica e de cinco questões práticas, além de Direito Penal, também inclui provas nas áreas de Direito Administrativo, Direito Civil, Direito Constitucional, Direito do Trabalho, Direito Empresarial e Direito Tributário.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG