O ministério do segundo escalão

Em uma cerimônia concorrida no Palácio do Itamaraty, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva deu posse nesta quarta-feira a dez novos ministros que vão compor o quadro do governo até o final do seu segundo mandato. Dos dez, sete deixam as secretarias executivas que ocupavam para preencher as vagas deixadas pelos ministros candidatos. A desincompatibilização é exigida pela Justiça Eleitoral para ministros, governadores e parlamentares.

Andréia Sadi, iG Brasília |


A recomendação para que a troca no comando dos ministérios ficasse com o secretários veio do próprio presidente Lula. Durante o lançamento do PAC 2 , na última segunda-feira, Lula brincou e disse que as vagas já tinham dono. Não adianta ninguém vir me pedir cargo porque não tem", afirmou o presidente.

A maioria que assume os cargos tem perfil técnico e deve dar continuidade às políticas já implementadas pelos indicados por Lula.

Novos ministros

No lugar de Dilma Rousseff, que sai para disputar a Presidência da República, ocupou a Casa Civil a secretária Erenice Guerra, braço direito da ministra. Em Minas e Energia, sai Edison Lobão e assume Márcio Zimmerman, que já foi cotado para o cargo quando saiu Silas Rondeau, citado na Operação Navalha, da Polícia Federal, em 2007.  

Na Agricultura, assume o presidente da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Wagner Rossi, no lugar de Reinhold Stephanes, que concorrerá a uma vaga na Câmara dos Deputados. Ao chegar ao Palácio do Itamaraty, irritado, Rossi negou qualquer irregularidade no período que presidiu a Conab.

Já os pré-candidatos ao governo de Minas Gerais Patrus Ananias (PT) e Hélio Costa (PMDB) serão substituídos por Márcia Lopes, no Desenvolvimento Social, e José Artur, nas Comunicações, respectivamente.

Também candidatos aos governos do Amazonas e da Bahia, os ministros dos Transportes, Alfredo Nascimento, e da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, deixarão em seus lugares os secretários-executivos Paulo Passos e João Santana, respectivamente. Na Previdência, sai José Pimentel (PT) e entra Carlos Gabas.

Carlos Minc sai do Ministério do Meio Ambiente para tentar uma vaga de deputado estadual pelo Rio. Assume a secretária executiva Izabella Teixeira. Por fim, o secretário adjunto da Secretaria Especial de Políticas e Promoção da Igualdade Racial, Elói Ferreira, substitui Edson Santos, que vai concorrer como deputado federal.

Os novos ministros receberão os cargos dos antecessores em cerimônias marcadas para esta tarde.

Agência Brasil
Posse dos ministros no Palácio dos Bandeirantes

Posse dos ministros no Palácio do Itamaraty, em Brasília

Meirelles

O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, deverá definir seu futuro político hoje. Em encontro com o presidente Lula na terça-feira, ele pediu 24 horas para decidir se deixará o governo para concorrer nas eleições. O governo, porém, já dá como certo que ele ficará no BC .

Fica

Fica no governo Lula o ministro Fernando Haddad (Educação), que aguardava a decisão do PT sobre seu candidato ao governo de São Paulo. Haddad era a terceira opção de Lula para a corrida paulista, depois de Ciro Gomes (PSB), que mantém sua pré-candidatura à presidência, e Aloizio Mercadante, pré-candidato pelo PT.

Leia também:

  • Comando do PT prepara maratona para manter Dilma na vitrine eleitoral
  • Fora do governo, Serra cuida de palanques, de vice e percorre o país

    Leia mais sobre eleições 2010

    • Leia tudo sobre: eleições 2010

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG