O lado quente do inverno

O lado quente do inverno Por Júlia Contier São Paulo, 02 (AE) - Saem os ventiladores, entram os aquecedores. Adepta a confortos tecnológicos para deixar o inverno mais agradável, a apresentadora da MTV Marina Person não abre mão do supermercado pela internet nem do lençol elétrico para esquentar a cama.

Agência Estado |

"Coloco o lençol na tomada e, quando a cama está bem quente, desligo", ensina a apresentadora, que também tem um edredom de penas de ganso, comprado nos Estados Unidos.

Além de equipar o quarto para afastar o frio, Marina adora deixar mantas no sofá para esquentar as visitas. Segundo ela, o melhor do inverno é curtir a própria casa; por isso, sempre tenta chegar mais cedo para preparar um jantar para comer com o namorado ou os amigos que a visitam com frequência.

Já para a cantora Ná Ozzetti, que passa o dia se aquecendo com diferentes chás, a sensação de calor se torna mais importante no inverno, por isso a busca por sol, lareira, vinho, velas e amigos em volta. E, para isso, não há lugar melhor do que a própria casa.

Desde criança, Ná Ozzetti tem o hábito de se sentar ao sol depois do almoço e descansar, aproveitando o calor. Essa relação é tão antiga que, mesmo durante o inverno, não é esquecida. Ela aproveita os dias ensolarados da estação para abrir a casa e deixar a luz entrar.

"Isso ajuda não só a esquentar, como a ventilar e tirar a umidade", explica a cantora vive, que em um sítio em Jundiaí, a 60 Km de São Paulo. Ela também conta que, apesar de a sala ser ambientada com um belo piano, o lugar preferido pelos amigos que a visitam é a cozinha. "É lá que o meu marido e eu preparamos os almoços e os jantares e todo mundo se reúne em volta do fogão", conta. "É uma sensação muito boa."

SOL E LAREIRA
O ritual com o sol também é vital para o fotógrafo e artista plástico Felipe Morozini, que todos os dias, ao acordar, levanta a persiana do quarto e deixa a luz entrar. "Mudei a cama de lugar para poder aproveitar o sol da manhã", conta ele. E é na cama que Morozini gosta de curtir o tempo de folga, lendo ou descansando, sobre os travesseiros que ele mesmo borda.

Para Ana Cristina Pulcherio Ferreira "o melhor do inverno é acender a lareira". Proprietária do Prema Yoga e Restaurante Natural (www.premayoga.com.br), próximo à Av. Paulista, Ana mora com os dois filhos na Serra da Cantareira, segundo ela o lugar ideal para curtir o frio sem sair de São Paulo. "Já tentei voltar para a cidade para ficar perto do trabalho, mas não consegui. Aqui o ar é melhor e estamos mais perto da natureza. Adoro acordar com o frio e ver o orvalho subindo aos poucos quando começa a amanhecer."

Quando chega o inverno, a grande diversão na casa de madeira da professora de ioga é levar um monte de edredons para a sala, forrar todo o chão, acender a lareira e curtir o frio em volta do fogo. "A gente assa batata, queijo coalho, assiste a filmes, come pipoca e, muitas vezes, dormimos por lá."

A formação em gastronomia transformou a casa de Flora de Castro Feitosa Martins, de 23 anos, em uma referência de onde comer bem e se divertir. Recém-casada com Marcelo Martins, de 28 anos, Flora passou a receber os amigos todas as semanas para jantar - com cardápios preparados por ela, é claro.

"Aqui a gente pode comer, ver filmes e conversar. É muito mais gostoso do que ir a qualquer bar, ainda mais no frio", conta a anfitriã, que usa os encontros para testar novas receitas. "Agora estou na fase de risotos." Apesar de só ela entrar na cozinha, Flora garante que cada um leva alguma coisa para animar a noite, seja um vinho, um molho ou um filme. "Às vezes fazemos maratonas de filmes, em outras ocasiões assistimos a DVDs de shows." Mas Flora avisa: "Esses encontros só acontecem aos sábados, porque sexta-feira é o dia que eu tenho para ficar com meu marido".

ROMANCE
No apartamento de Cristiano Del Moral, de 30 anos, e Andressa Sanches, de 28, em Moema, na zona sul de São Paulo, o charme é o papel de parede do quarto: perolado com flores de camurça preta, que a moradora trouxe dos Estados Unidos especialmente para decorar o espaço novo. Casados desde setembro, eles dizem que a cama, king size, também ganhou mimos importados, como roupas de camas especiais e edredons que aquecem e dão o tom de lugar especial da casa. Andressa também adora acender algumas velas, "para dar um tom mais intimista, quando a gente abre um vinho ou chama os amigos para um fondue em casa".

Velas também não faltam na casa da terapeuta holística Mana Mendonça, de 32 anos. Além das muitas que enfeitam e esquentam a casa, ela conta que gosta de preparar banhos especiais, com óleos essenciais, que costuma comprar na By Samia. "Agora no inverno é muito bom preparar banhos com alecrim e eucalipto para abrir os pulmões." Para o amor incondicional, ela recomenda um banho de banheira com pétalas de rosas, "ideal para todas as época do ano".

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG