Número de transplantes cresce 18,9% no Estado de SP

O número de transplantes realizados no Estado de São Paulo cresceu 18,9% entre janeiro e julho deste ano, segundo balanço divulgado hoje pela Secretaria da Saúde paulista. Excluindo-se córneas - consideradas tecidos -, ocorreram 744 cirurgias, contra 626 nos primeiros sete meses de 2007.

Agência Estado |

A pasta atribuiu os resultados ao maior número de doações autorizadas por familiares de pacientes com morte encefálica. Até julho, foram registrados 249 doadores de órgãos, número 20,3% superior ao mesmo período em 2007.

Os transplantes de coração tiveram o maior aumento: 60%. Até julho, foram 40 transplantes de coração, 15 a mais em relação à igual período no ano passado. Os transplantes de pulmão e de rim também subiram. Respectivamente, passaram de 19 para 25 (diferença de 32%) e de 345 para 404 (17%).

"Esse crescimento é importante porque, no caso do coração e do pulmão, quem precisa de um transplante não tem outra opção de tratamento, ao contrário do que acontece com pacientes renais, que podem fazer hemodiálise, ou aqueles que aguardam por um pâncreas, que podem usar aplicações de insulina", informou, em nota, o coordenador da Central de Transplantes da Secretaria, Luiz Augusto Pereira.

De acordo com a secretaria, os médicos de grandes emergências e de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) vêm recebendo treinamento para aprimorar a captação de doadores. Desde 2006, foram cerca de 360 profissionais. Até o fim do ano, mais de cem médicos deverão se especializar no trabalho de procura, identificação e notificação de potenciais doadores de órgãos e tecidos.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG