Mais duas mortes, ambas nesta quarta-feira e na capital paulista, foram registradas em razão das chuvas que atingem o Estado de São Paulo desde o dia 1º de dezembro de 2009. O número de mortes sobe para 72.

AE
Motorista fica ilhado e observa área alagada

Motorista fica ilhado e observa área alagada

O boliviano Papin Huascar Villca, de 24 anos, morreu eletrocutado, por volta das 19h30, ao ser atingido por um raio quando caminhava pela Praça Ilo Otani, próximo da Ponte da Vila Guilherme, no bairro do Pari, região centro-leste da capital paulista.

Nenhum parente da vítima havia comparecido no plantão da delegacia do Bom Retiro (2º DP) até as 3h45 desta quinta-feira. Não se sabe ainda onde o boliviano morava nem a profissão dele. A identificação da vítima foi feita por meio de um documento com foto carregado pelo estrangeiro.

Queda de árvore

O comerciante Antonio Pereira Lousa, de 74 anos, morreu, por volta das 17h30, após uma árvore cair, num dos acessos à Ponte da Vila Maria, região nordeste da capital, e atingir o Corolla verde ocupado pela vítima, que atuava no ramo de recauchutagem de pneus e morava na região da Vila Formosa.

Outros três veículos também foram atingidos, mas com menor gravidade. Mesmo encaminhado pelos bombeiros ao pronto-socorro do Hospital Municipal Vereador José Storópoli, na Vila Maria, o comerciante não resistiu aos ferimentos e morreu. A morte de Antonio Pereira foi registrada na delegacia da Penha (10º DP).

43º dia de caos

AE
Estação de Metrô lotada

Estação de Metrô lotada

São Paulo teve na quarta-feira mais um dia de caos por causa da chuva. Toda a cidade ficou em atenção e cinco regiões foram colocadas em alerta, pelo Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), por causa da chuva. Mais de 40 pontos de alagamento foram registrados e o trânsito deu um nó, especialmente nas zonas norte e leste da cidade, onde a chuva foi mais intensa. O Rio Tietê, mais uma vez, transbordou, assim como o Aricanduva e os córregos Tiquatira e Mandaqui.

Quem precisou do transporte público para voltar para casa também enfrentou muitos problemas. Duas linhas da CPTM foram interditadas e as estações do Metrô ficaram lotadas, impedindo os passageiros de embarcar. A situação foi normalizada apenas no fim da noite, por volta das 23h.

Pelas ruas, diversas árvores caíram com as rajadas de vento. Nesta quinta-feira, 87 ainda atrapalham o trânsito. Nesta manhã, segundo a Defesa Civil, a pior situação está na Avenida Nazaré, no Ipiranga, zona sul da cidade. Uma árvore de grande porte rompeu a fiação da rede elétrica.

De acordo com a Defesa Civil, da Subprefeitura do Ipiranga, vários funcionários trabalham para a retirada das árvores. Além da Avenida Nazaré, a Rua Leais Paulistano, na Vila Monumento, também está totalmente interditada por uma árvore, que também rompeu a fiação da rede elétrica.

Além das árvores, 26 trechos de vias estavam com falta de luz, afetando os semáforos. Equipes da AES/Eletropaulo trabalham na região e ainda não há previsão para o restabelecimento da energia, segundo a assessoria da empresa.

Aricanduva

A pista sentido Marginal do Tietê da Avenida Aricanduva, que foi bloqueada por causa de um deslizamento de terra próximo da Avenida Rio das Pedras, no bairro Parque Savoy City, região de São Mateus, na zona leste de São Paulo, foi liberada uma faixa por volta das 8h. De acordo com a CET, ainda não havia previsão para a liberação total da via.

AE
Queda de árvore na Avenida Nazaré

Queda de árvore na Avenida Nazaré

Previsão

A manhã começou com poucas nuvens na capital paulista. Para o restante do dia, o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) prevê tempo ensolarado e com temperaturas em elevação. A máxima pode chegar aos 33ºC. No período da tarde, são esperadas novas pancadas de chuva, que podem ser intensas em alguns bairros.

(*com informações da Agência Estado)

Leia também:

Leia mais sobre: chuvas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.