Número de mortos em terremoto no Chile sobe a 122

Subiu para 122 o número oficial de mortos no terremoto de 8,8 graus que atingiu o Chile na madrugada deste sábado. Ondas dois metros acima do normal atingiram a costa do país, de acordo com o serviço de pesquisa geológica do EUA.

Agência Estado |

Testemunhas na região costeira de Maule, próxima ao epicentro do abalo, viram casas "simplesmente desaparecerem".

Fontes do governo disseram que em algumas áreas de Maule até 80% das cidades foram destruídas pelo terremoto e pelas ondas subsequentes. A maioria das mortes - 85 das 122 registradas pelo governo - ocorreu na região. Esforços de ajuda estão a caminho e o governo disse que pode enviar tropas para garantir a segurança nas regiões mais afetadas.

A mineradora nacional Codelco disse que não tem informação sobre o estado de sua mina de cobre El Teniente, localizada logo ao sul da capital. Um porta-voz disse que todas as principais minas do grupo no norte do país, que é o maior exportador de cobre do mundo, ficaram praticamente intactas.

A presidente do Chile, Michelle Bachelet, reuniu-se com autoridades emergenciais na manhã de hoje e voou em helicóptero do exército para a área mais atingida. O governo não declarou emergência nacional, mas identificou as regiões atingidas no sul do país que irão receber fundos emergenciais. Segundo Bachelet, o Chile tem, neste momento, os recursos necessários para enfrentar as consequências do terremoto e não precisa de socorro internacional imediato.

Santiago mergulhou em trevas após o terremoto. Telefones foram cortados e o fornecimento de energia e gás, interrompido. O principal aeroporto e o metrô estão fechados.

As autoridades tentam obter mais informações de Juan Fernandez e outras ilhas da costa do país, que foram atingidas por ondas maiores logo após o sismo. Residentes do Havaí, enquanto isso, foram orientados a evacuar as áreas mais baixas ao longo da costa do arquipélago. Sirenes de tsunami foram disparadas às 13 horas (de Brasília), e ondas podem atingir as ilhas logo após 18 horas. As informações são da Dow Jones.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG