BRASÍLIA - A Defesa Civil de Santa Catarina confirmou no fim da tarde desta sábado a morte de mais duas pessoas que estavam desaparecidas em Gaspar. Com isso, o número de mortos no Estado subiu para 122.

A lista de desaparecidos, agora, tem 29 nomes: 21 em Ilhota, sete em Gaspar e uma em Luís Alves. Em Gaspar, onde os últimos óbitos foram registrados, o número de vítimas fatais já chega a 19.

As mortes ocorreram por soterramento, devido a um deslizamento de terra registrado há uma semana. As duas vítimas não tiveram os nomes divulgados.

O total de pessoas desabrigadas e desalojadas, de acordo com o último boletim divulgado, segue em 32.946. Blumenau tem o maior número de pessoas fora de casa devido aos estragos da chuva, com um total de 4.997 desabrigados. Em seguida, está Itajaí, com 169, e Rodeio, com 140. Os Municípios de Gaspar, Ilhota e Luís Alves ainda estão contabilizando os números.

No domingo, o governador do Estado, Luiz Henrique, e o vice-governador, Leonel Pavan, visitam a cidade de Ilhota, também atingida por enchentes e por deslizamentos de terra.

O secretário de Desenvolvimento Regional de Blumenau, Paulo França, e o prefeito de Ilhota, Ademar Felisky, também participam da vistoria. O objetivo, de acordo com a Defesa Civil de Santa Catarina, é buscar soluções e possibilidades para a reconstrução das áreas afetadas pelos temporais.

Acompanham a reunião a secretária estadual de Assistência Social, Trabalho e Habitação, Dalva de Luca Dias; o secretário da Agricultura e Desenvolvimento Rural, Antônio Ceron; o comandante-geral da Polícia Militar de Santa Catarina, coronel Eliésio Rodrigues; o comandante-geral do Corpo de Bombeiros de Santa Catarina, coronel Álvaro Maus; o diretor estadual de Defesa Civil, major Márcio Luiz Alves; o presidente da Epagri (Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão), Murilo Xavier Flores; e o presidente da Cidasc (Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola), Edson Henrique Veran.

Leia também:

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.