Número de mortos em naufrágio na Bahia sobe para 10

Delegado disse que dono do barco alegou que foi a avó de algumas das vítimas que insistiu para que a viagem fosse feita

Márcio Apolinário, especial para o iG |

As equipes de resgate encontraram mais três corpos de crianças vítimas do naufrágio que matou ao menos 10 pessoas, neste domingo, no Lago de Sobradinho, no Rio São Francisco, no município de Pilão Arcado, localizado a 740 quilômetros de Salvador, no norte da Bahia. De acordo com a Polícia Civil, 18 pessoas estavam na embarcação que tinha capacidade para levar seis. Sete adultos sobreviveram e as buscas por uma menina, identificada por Jucicarla Ferreira, de 10 anos, continua.

AE
Mergulhadores e pescadores da região procuram por corpos do naufrágio no Lago de Sobradinho
Segundo o delegado responsável pelo caso, Arnóbio Dionísio Soares, a embarcação, que tinha capacidade para no máximo seis pessoas, levava 16 pessoas da mesma família e mais dois irmãos que eram responsáveis pelo transporte. "Esse tipo de barco é usado apenas por pescadores. Não podia levar uma família inteira, as chances dessa viagem dar certo, eram nulas. A tragédia era anunciada", afirmou o delegado à reportagem do iG .

De acordo com o delegado, o barco era conduzido pelos irmãos Ailton e Raimundo Andrade e naufragou nas proximidades do povoado de Alto do Galvão, a 18 quilômetros da sede do município. O socorro aos náufragos começou pouco depois, quando um pescador avistou os sobreviventes. No entanto, a correnteza era forte.

O responsável pela embarcação, também conhecido como "Nego", será indiciado por homicídio doloso. "Quando ele decidiu fazer o transporte dessas pessoas, ele assumiu o risco de morte das vítimas. O Nego sabia que não cabiam tantas pessoas naquele bote".

"Nego" foi ouvido pela polícia nesta noite e afirmou que o tipo de transporte é muito comum entre os povoados ao redor do lago. "Ele disse que foi a avó de algumas vítimas que insistiu muito para que ele fizesse o transporte das mães e das crianças", disse o delegado.

Cerca de 20 policiais, militares e civis participaram dos trabalhos ajudados por moradores da região ontem à noite, mas integrantes de equipes de salvamento do Corpo de Bombeiros só chegaram ao local no fim da manhã de hoje porque tiveram de se deslocar de Juazeiro, a cerca de 300 quilômetros. Durante o dia, as equipes utilizaram lanchas e equipamentos de mergulho para localizar os corpos.

Peritos da Polícia Técnica e da Capitania dos Portos do São Francisco apuram as causas do naufrágio. As primeiras análises apontam para o excesso de peso, apesar de alguns relatos informarem fortes ventos na região.

Nesta tarde foram encontrados os corpos de Tarcílio Ferreira, de 6 anos; Jackson Ferreira, de 11; e Matias, de 5. Outros sete corpos haviam sido localizados pela manhã. Os corpos das vítimas que foram encontrados estão sendo velados na Câmara Municipal de Pilão Arcado.

Com informações da AE

    Leia tudo sobre: naufrágiomortecriançaspolíciabuscas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG