Por Joseph Guyler Delva PORTO PRÍNCIPE (Reuters) - O número de mortos no desabamento da escola no Haiti passou de 90 neste sábado, depois que as equipes de resgate descobriram uma sala cheia de corpos, a maioria deles de crianças, segundo autoridades.

A defesa civil dissera que havia 84 confirmações de mortes e 150 feridos. Horas depois, uma autoridade da defesa civil, Michel Joseph Jr., afirmou ter visto mais oito corpos, o que levava o número de mortos para 92. "Não fomos capazes de tirá-los ainda", afirmou Joseph.

Segundo autoridades, 700 crianças estudavam na escola de três andares, mas não se sabe quantas estavam lá na sexta, quando o prédio caiu, na periferia da capital do Haiti.

O governo declarou que a estrutura da escola religiosa foi construída praticamente sem aço ou cimento. O dono da escola e da igreja, o pastor protestante, Fortin Augustin, foi preso.

De acordo com autoridades, as equipes de resgate no sábado passavam água e biscoito por entre os escombros para crianças presas em meio ao entulho. Pelo menos 35 estudantes, 13 meninas e 22 meninos, foram resgatados com vida durante a noite.

Grupos de pais desesperados e em prantos procuram por seus filhos nas ruínas. As estradas ao redor da escola estão congestionadas, e equipes de resgate tiveram que chegar de helicóptero.

Uma das pessoas que trabalham no resgate afirmou que há uma turma inteira de filosofia entre os mortos. A única que se salvou foi uma aluna que, momentos antes do desmoronamento, pediu para ir ao banheiro.

"É uma tragédia, principalmente quando envolve crianças", disse Hedi Annabi, chefe da missão das Nações Unidas no país. Mais de 9 mil homens compõem a força de paz das Nações Unidas no Haiti, enviada depois de uma rebelição que derrubou o presidente em 2004.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.