Número de mortes por gripe suína no País chega a 45

O Estado de São Paulo registrou ontem a morte de uma mulher de 32 anos, moradora de São Carlos, a 232 quilômetros da capital paulista, em decorrência da Influenza A (H1N1), a chamada gripe suína. Ela começou a sentir os sintomas da doença no dia 15, foi internada cinco dias depois e morreu domingo no Hospital Estadual de Américo Brasiliense.

Agência Estado |

Além disso, o Estado confirmou mais três novas vítimas da doença, o que eleva para 20 o total de mortes em território paulista. O Paraná também anunciou três novos óbitos. Com isso, até agora, 45 pessoas morreram no País decorrente da doença.

Dois novos casos ocorreram em Osasco, na Grande São Paulo, que já contabiliza cinco mortes. As vítimas são uma mulher de 57 anos e um homem de 37. Segundo a prefeitura, os dois morreram no dia 19 e apresentavam problemas de saúde que podem ter contribuído para o agravamento da gripe suína. Uma terceira morte foi registrada em Mogi-Guaçu, interior do Estado, a primeira provocada pelo vírus A (H1N1) no município.

A vítima, um aposentado de 58 anos, teve contato com chilenos e morreu no dia 26. O homem foi internado no dia 16 com pneumonia, e o quadro evoluiu para insuficiência respiratória aguda grave. O tratamento contra a nova gripe passou a ser administrado no dia 20.

Vacina

O Instituto Butantã pretende negociar até segunda-feira a compra de 36 mil doses de vacinas - metade para gripe sazonal e metade para A (H1N1), afirma Isaías Raw, presidente da Fundação Butantã. O produto serviria para imunizar profissionais de saúde que participam do esforço de combate à doença. “É a prioridade em todos os países”, aponta. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo .

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG