RIO DE JANEIRO - Subiu de 75.399 para 93.498 o número de notificações de dengue no Estado do Rio na última semana e as mortes chegaram a 87 (sete a mais do que as divulgadas no dia 9). Outras 91 mortes ainda são investigadas, de acordo com os dados divulgados nesta quarta-feira pela Secretaria de Estado de Saúde e Defesa Civil (Sesdec).


O aumento de 24% nos casos notificados é inferior ao crescimento de 32% registrados na semana anterior, mas ainda preocupa as autoridades de saúde. Na capital fluminense, as ocorrências subiram de 52.275 para 53.789 nos dois últimos dias. Uma morte foi registrada, totalizando 52 desde o início do ano.

Hoje, o defensor público da União, André Ordagy, entrou com uma ação no Superior Tribunal de Justiça (STJ) para assegurar que os postos de saúde da prefeitura fiquem 24 horas abertos. Atualmente, há na capital um "conflito de liminares". Na semana passada, a juíza da 18ª Vara Federal, Regina Coeli Medeiros de Carvalho, decidiu acatar ação da Defensoria Pública da União (DPU) e estabelecer multa diária de R$ 10 mil, caso não os postos não funcionem durante a noite e madrugada.

Nesta terça-feira, a juíza estadual Valéria Pacha Bichara, da 10ª Vara de Fazenda Pública da Justiça Estadual, aceitou o argumento da administração municipal de que não há segurança para a abertura de todas as unidades de saúde.

Até hoje, o STJ ainda não havia se pronunciado sobre a ação. No boletim eletrônico diário na internet, o prefeito Cesar Maia (DEM) afirmou que cai o número de atendimentos de doentes na cidade. "O número de atendimentos na zona sul tem se mantido bastante baixo e não justifica todas as unidades básicas abertas." A Procuradoria-Geral do Município do Rio de Janeiro (PGM) informou que espera que o STJ também aceite as ponderações consideradas pela Justiça Estadual e reveja a decisão da 18ª Vara Federal.

Leia também:

Leia mais sobre: dengue

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.