Número de adolescentes grávidas diminui no Estado de São Paulo

SÃO PAULO - A Secretaria do Estado da Saúde divulgou nesta segunda-feira um balanço geral, com dados da Fundação Seade, sobre a incidência de gravidez na adolescência. Segundo o estudo, o ano de 2007 apresentou o menor número de adolescentes grávidas da última década. Foram 4 mil casos a menos de gravidez entre menores de 20 anos de idade no Estado, em relação ao ano de 2006.

Redação |

De acordo com o balanço, foram 96.554 menores de 20 anos de idade grávidas no ano passado, contra 100.632 em 2006. Na comparação com 1998, quando houve 148.018 casos, a redução chega a 34,7%. Pela primeira vez o total de casos não chegou a 100 mil.

Segundo a Secretaria, a queda no número de casos de gravidez na adolescência vem ocorrendo ano a ano. As adolescentes grávidas de 2007 representariam 16,25% do total de partos. Esse índice foi de 16,6% no ano anterior e 16,9% em 2005.

O Estado de São Paulo apresentou, em 2007, taxa de prevalência de 24,5 grávidas por 1.000 adolescentes menores de 20 anos. No ano anterior o índice foi de 25,9 e, em 2005, de 27,4. A última taxa nacional, referente a 2005, foi de 34,83 gestantes por 1.000 adolescentes.

O secretário de Estado da Saúde, Luiz Roberto Barradas Barata, afirmou que "o declínio da ocorrência de gravidez precoce no Estado de São Paulo é fruto de um programa que ressalta a informação sobre sexo seguro".

Anticoncepcionais

Para auxiliar na prevenção à gravidez indesejada, a Secretaria decidiu ampliar o acesso das mulheres, inclusive adolescentes, a métodos anticoncepcionais.

Desde julho de 2007 estão disponíveis contraceptivos comuns em 20 unidades da Farmácia Dose Certa, na capital, situadas em estações de metrô, trem e centros de saúde. Esses locais passaram a distribuir pílulas do dia seguinte, camisinhas e panfletos informativos sobre contracepção de emergência.

Para o interior, litoral e Grande São Paulo a Secretaria também passou a enviar anticoncepcionais, pílulas do dia seguinte e DIUs, para distribuição em Unidades Básicas de Saúde, em complemento ao repasse do governo federal.

Balada da Saúde

No segundo semestre de 2007 a Secretaria lançou o projeto Balada da Saúde, na Casa do Adolescente de Pinheiros, na capital. O objetivo é prestar atendimento médico, orientar os adolescentes sobre sexo seguro e uso correto de métodos anticoncepcionais, e oferecer espaço para música e diversão.

A balada acontece todas as segundas-feiras às 19h, para adolescentes de 12 a 20 anos. Ginecologistas, psicólogos e nutricionistas tiram dúvidas sobre sexo, gravidez precoce, uso de preservativos e problemas de saúde. A Secretaria ainda distribui preservativos e folhetos explicativos.

A coordenadora do Programa de Saúde do Adolescente, Albertina Duarte Takiuti, afirmou que "depois das baladas do final de semana todos querem acabar com as dúvidas, saber como usar preservativos e evitar gravidez.

Leia mais sobre: gravidez na adolescência

    Leia tudo sobre: gravidezgravidez na adolescência

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG