Núcleo da USP atende parentes de vítimas de violência sexual

Pessoas que sofreram violência sexual e nunca procuraram ajuda também podem recorrer ao Núcleo de Assistência à Vítima de Violência Sexual (Navis), do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, para se recuperarem do trauma. E, além do atendimento de emergência, o Navis também inclui assistência a familiares das vítimas com orientações psicológicas.

Agência Estado |

O atendimento do núcleo é realizado por equipe multidisciplinar e dirigido as pessoas de todas as idades e de ambos os sexos. As vítimas devem procurar os serviço com urgência para evitar contaminação por doenças sexualmente transmissíveis, como sífilis, gonorréia, HIV e Hepatite B. O prazo máximo é de 72 horas, após a agressão, para a realização das profilaxias e anticoncepção de emergência.

No pronto-socorro são administrados medicamentos e vacinas para a prevenção de doenças transmissíveis pelo ato violento. Após os procedimentos, a pessoa é acolhida por assistentes sociais e tem consulta médica e psicológica agendada. Em média, o Navis atende dez casos por mês. A maioria é do sexo feminino (93%) e os agressores são conhecidos da vítima (51%).

O acompanhamento clínico leva, em média, seis meses - período de investigação do aparecimento de possíveis doenças infecciosas. O psicológico leva um ano. O atendimento ambulatorial acontece no Prédio dos Ambulatórios do ICHC, à Avenida Enéas de Carvalho Aguiar, 155, Cerqueira César, São Paulo. Mais informações: (11) 3069-6397

Cecilia Nascimento

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG