Novos antibióticos neutralizam bactérias, indicam estudos

Dois estudos publicados hoje na revista Science trazem esperança para a luta contra bactérias resistentes a antibióticos, um desafio cada vez mais comum para os profissionais de saúde. No primeiro trabalho, cientistas sintetizaram uma substância capaz de neutralizar a reprodução de bactérias, especialmente as do gênero Staphylococcus, responsáveis por vários tipos de infecção.

Agência Estado |

O bactericida desenvolvido pelos cientistas - e batizado de PC190723 - neutraliza uma proteína - a FtsZ - importante para a multiplicação dos microrganismos.

A eficácia foi comprovada em testes com camundongos, que receberam quantidades letais de uma cepa resistente a antibióticos de Staphylococcus aureus, bactéria responsável por cerca de 19 mil mortes todos os anos nos Estados Unidos. Apenas os camundongos tratados com PC190723 sobreviveram.

O diretor de pesquisa da Prolysis Ltda., Lloyd Czaplewski, empresa britânica que participou do estudo, afirma que serão necessários dois anos para que sejam realizados os primeiros testes em humanos.

O segundo trabalho, realizado por cientistas japoneses, identificou um “calcanhar de Aquiles” de vários grupos de bactérias patogênicas. Muitas bactérias precisam da vitamina K2 (menaquinona) para viver. Para sintetizar a substância, elas utilizam um conjunto de genes.

Os pesquisadores descobriram que esse conjunto de genes não é o mesmo em todas as bactérias. E um importante grupo de microrganismos que causam doenças - como a leptospirose e a úlcera do estômago - compartilham um conjunto de genes diferente das bactérias “benéficas” que carregamos na nossa flora intestinal. Surge, com essa constatação, a possibilidade de desenvolver um antibiótico capaz de atuar seletivamente sobre o metabolismo das bactérias patogênicas. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

AE

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG