Novo sistema de classificação hoteleira vai considerar qualidade dos serviços

Programa apresentado pelo Ministério do Turismo prevê que 60% dos hotéis brasileiros sejam reclassificados até 2014; padrão “estrelas” permanece

Luisa Girão, iG Rio de Janeiro |

O ministro de turismo Pedro Novais assinou, nesta terça-feira (7), a portaria que institui o Sistema Brasileiro de Classificação de Meios de Hospedagem (SBClass). O objetivo é adequar os hotéis brasileiros ao padrão mundial de serviços turísticos para a Copa de 2014 e Olimpíadas de 2016.

Embora apresente mudanças em relação à padronização regulamentada em 2002, o novo sistema manterá a classificação por estrelas, em escala de 1 a 5. A diferença, segundo o ministro, é o novo critério de avaliação. “Só poderá usar as estrelas o hotel que passar pela inspeção do Inmetro. A expectativa é que 60% dos mais de 12 mil estabelecimentos sejam classificados até 2014”.

Durante o evento, na Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, no Centro do Rio, o ministro afirmou que o novo modelo, traz modernidade e democracia ao sistema hoteleiro. O presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hoteis, seção Rio de Janeiro, (Abih-RJ), afirmou que a proposta foi bem recebida pelo setor.

“Leva em consideração o serviço oferecido pelos estabelecimentos. Antes, bastava cumprir os requisitos técnicos, como metragem, por exemplo, que se chegava a uma classificação específica. A partir de agora, aspectos como qualidade do atendimento farão a diferença”, explicou Alfredo Lopes.

A Associação Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação reforçou o coro dos que consideravam o modelo anterior, revogado em 2010, ultrapassado. O presidente da entidade, Alexandre Sampaio, ressaltou que aportaria vai contemplar a diversidade da hotelaria brasileira. “O que temos agora é um rigor maior tanto na descrição dos quesitos quanto na implementação deles”, afirmou Alexandre Sampaio, da ABIH- Rj.

Com a nova regra, os estabelecimentos serão divididos em hotel, resort, hotel-fazenda, cama e café, hotel histórico, pousada e flat/apart hotel. “Os meios de hospedagem farão parte do catálogo e do site da Embratur. Além disso, haverá uma maior credibilidade do empreendimento e ele poderá usar a classificação como uma ferramenta de publicidade”.

O ministério também dará tratamento especial, quanto à linha de crédito, para os meios de hospedagem cadastrados. Até 2014 é estimado que mais de três bilhões de reais sejam investidos pelo setor. “Não é uma exigência formal, mas após algum tempo, o novo sistema será importante para a obtenção da linha de crédito para a ampliação e reforma dos hotéis brasileiros”.

Entenda o novo sistema

As matrizes da classificação serão compostas por requisitos de infraestrutura, prestação de serviços e práticas de sustentabilidade. Para ser classificado na categoria pretendida, o meio de hospedagem deve demonstrar o atendimento de 100% dos requisitos mandatórios e 30% dos eletivos.

Dentre os optativos são observados itens como: serviços de recepção, guarda-valores e alimentação; tamanhos de apartamentos e de banheiros; disponibilidade de restaurantes; medidas para redução de consumo e coleta seletiva de resíduos, entre outros.

Para solicitar a classificação, que terá validade de 36 meses, os meios de hospedagem devem preencher formulários disponíveis no site do ministério de turismo. Depois da análise e aprovação da documentação, será realizada uma inspeção por técnicos do Inmetro para avaliar a conformidade com os requisitos previstos nas matrizes de classificação.

    Leia tudo sobre: hotelestrelasclassificaçãoministério do turismo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG