Novo presidente do TCU promete aumentar combate à corrupção frente à crise financeira

BRASÍLIA - O ministro Ubiratan Aguiar, empossado na manhã desta quarta-feira como novo presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), garantiu que ¿atuará com firmeza no combate à má utilização dos recursos públicos, mormente ante a escassez que deverá decorrer da crise mundial que se avizinha.¿

Carol Pires, Último Segundo/Santafé Idéias |

Segundo o novo presidente do Tribunal, o montante de recursos públicos fiscalizados pelo TCU mostra a relevância das atividades desenvolvidas na Casa. Segundo o ministro, até o final deste ano, apenas os trabalhos relacionados à área de energia resultarão em uma economia para os cofres públicos e consumidores da ordem de R$ 3,7 bilhões.

Ubiratan Aguiar observou também que o trabalho do TCU deve incluir a troca de informações com o Ministério Público, a Receita Federal, o COAF e o Banco Central. [Esta troca de informações] não pode ser vista como algo inusitado, sujeito a interpretações legais as mais restritivas, disse.

Eleito presidente do TCU no último dia 3, Ubiratan Aguiar nasceu em Cedro, no Ceará, e se formou em Ciências Jurídicas e Sociais pela Faculdade de Direito da Universidade Federal do Ceará (UFC). Antes de assumir a vaga de ministro do TCU, em maio de 2001, Aguiar foi vereador, deputado estadual e federal. Ele terá como vice o ministro Benjamin Zymler.  

Participaram da reunião de posse do ministro Ubiratan Aguiar, além dos presidentes da Câmara e do Senado - respectivamente Arlindo Chinaglia (PT-SP) e Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN) - os governadores Cid Gomes, do Ceará, Aécio Neves, de Minas Gerais e José Roberto Arruda, do Distrito Federal. O presidente Lula e o vice-presidente José Alencar também estiveram presentes ao evento, porém, saíram sem falar com a imprensa.

Leia mais sobre: TCU

    Leia tudo sobre: tcu

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG