SÃO PAULO - O segundo leilão eletrônico de bens do traficante colombiano Juan Carlos Ramírez Abadía, realizado nesta quinta-feira, arrecadou R$ 1,897 milhão. Dos 72 lotes oferecidos, 54 foram arrematados.

Divulgação
de
Lancha que foi arrematada em leilão
Entre eles, está a Lancha Intermarine Azimut, fabricada em 2005, levada por um comprador de São Paulo por R$ 1,59 milhão, quase o triplo do lance inicial, de R$ 595 mil. Também foram oferecidos 62 relógios de marcas importadas, 7 canetas Montblanc, 1 estojo para esferográficas da mesma marca e 1 par de óculos escuros da Gucci.

Os lances dados pelos relógios variaram entre 150 reais e R$ 123 mil. Uma nova venda pública de objetos de Abadia deverá ser marcada para os 18 itens que não foram arrematados dessa vez. Os valores arrecadados serão depositados em conta judicial.

Parte do dinheiro ficará aplicada até que o processo tenha transitado em julgado (tornado-se uma sentença irrecorrível) e o restante será divido entre associações de assistência social definidas pela Justiça. Ele é mantido no Presídio Federal de Campo Grande. Abadia foi preso em agosto, na capital paulista, pela Polícia Federal (PF).

Histórico

No dia 8 de abril, foi realizado um bazar beneficente para a venda dos bens pessoais de Abadía apreendidos na chamada "Operação Farrapos". Entre os itens disponíveis estavam roupas, móveis, aparelhos eletrônicos, eletrodomésticos e utensílios para casa em geral.

No dia seguinte, ocorreu o leilão dos bens considerados de maior valor. Os valores obtidos serão depositados em conta judicial. Parte do dinheiro ficará aplicada até que o processo não tenha mais possibilidade de recursos. O restante será divido entre entidades de assistência social definidas pelo juízo.

Leia mais sobre: Abadía

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.