Novo impasse em CPI impede convocação de Vaccari

Após chegarem a mais um impasse, os integrantes da CPI da Bancoop, na Assembleia Legislativa de São Paulo, pediram vista dos 43 requerimentos que aguardam votação na Casa e marcaram um nova sessão na terça-feira (27) para determinar o calendário de deliberação da comissão. A reunião de hoje, que contou com a presença dos nove membros efetivos da CPI, foi marcada novamente pela falta de avanço nos trabalhos.

Agência Estado |

À espera de apreciação desde a primeiro dia de trabalho da CPI, em 31 de março, o pedido de convocação do promotor de Justiça José Carlos Blat e do tesoureiro do PT e ex-presidente da Cooperativa Habitacional dos Bancários (Bancoop), João Vaccari Neto, foi novamente embargado pela base governista. O vice-presidente da CPI, Chico Sardelli (PV), pediu mais esclarecimentos sobre o requerimento, alegando que ainda não era o momento de o pedido ser votado.

Em represália, a oposição pediu vista de todos os outros 42 requerimentos que se acumulam na comissão. Entre eles, figuram requerimentos para ouvir o escritor Ignácio de Loyola Brandão, a atriz Deborah Secco e o seu pai, Ricardo Secco. Os parlamentares Vanderlei Siraque (PT) e Vicente Cândido (PT), os únicos que não fazem parte da base governista dentro da comissão, não chegaram a acordo com os governistas sobre o calendário de deliberação da comissão.

Na semana passada, sessão extraordinária da CPI foi adiada pela segunda vez por falta de quórum. O deputado Samuel Moreira (PSDB), presidente da CPI, e os deputados Bruno Covas (PSDB), Ricardo Montoro (PSDB) e Waldir Agnello (PTB) compareceram à sessão, que precisava de cinco deputados para ser aberta. Os oposicionistas estavam na Assembleia Legislativa, mas preferiram boicotar a reunião.

A CPI foi instalada no dia 10 e pretende investigar denúncias que apontam a existência de esquema de desvio de dinheiro da cooperativa Bancoop para campanhas do PT. De acordo com o Ministério Público, as supostas fraudes chegariam a R$ 100 milhões. A comissão funcionará no prazo regimental de 120 dias, com possibilidade de prorrogação.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG