Novo estudo sugere que calor afetará mais fauna tropical

Cientistas esperam que o aquecimento global seja mais intenso nos pólos, mas um novo estudo sugere que a mudança climática será uma ameaça maior para animais que vivem nos trópicos. Apesar de estarem acostumados a temperaturas mais elevadas, os animais estão sob condições mais estáveis.

Agência Estado |

Com isso, o maior número de extinções provocadas pelo efeito estufa deverá se concentrar na região tropical, que também é a de maior biodiversidade do planeta.

O trabalho, publicado na revista Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS), analisou dados sobre a tolerância de diversas espécies de insetos a variações de temperatura, e concluiu que os insetos tropicais sofrem mais com um pouco mais de calor no ambiente do que as criaturas de latitudes média e alta.

Os autores do trabalho, das universidades de Washington e Estadual do Colorado, nos Estados Unidos, calculam que os insetos tropicais vivem muito perto da temperatura máxima que seus organismos são capazes de suportar. Já os insetos das regiões polares e temperadas vivem em ambientes que estão muito abaixo do que seria o nível térmico ótimo para seus organismos.

“Em média, a tolerância térmica de um inseto tropical é um quinto da de um inseto de latitude média”, afirma o artigo na PNAS. O trabalho sugere ainda que o mesmo fenômeno poderá afetar outros animais terrestres ectotermos, que dependem do ambiente para controlar a temperatura de seus corpos. Além de insetos, sapos, lagartos e tartarugas se encaixam nessa categoria. Levantamento feito pelos autores indica que a tolerância de uma espécie ao calor acompanha a variação natural de temperatura em seu hábitat natural. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo .

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG