A Team, companhia aérea regional, planeja inaugurar uma ponte aérea entre os Aeroportos de Jacarepaguá, na zona oeste do Rio de Janeiro, e Campo de Marte, na zona norte de São Paulo, com passagens a R$ 280. A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) já deu aval para a empresa e determinou que a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) faça as adequações nos dois terminais até o dia 10.

Oficialmente, porém, nenhuma autoridade confirmou a data.

O prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), fez duras críticas à novidade e promete comprar briga. A Infraero, que administra os dois aeroportos, deu parecer contrário para a Anac, mas vai cumprir a determinação. "A Anac podia criar o hábito de conversar com a prefeitura e com o governo do Estado. Podia ter a gentileza e delicadeza de consultar a prefeitura sobre o que ela acha de se colocar uma ponte aérea no Aeroporto de Jacarepaguá", afirmou Paes, ressaltando que vai usar todos os meios para impedir a criação da ponte aérea, como multas e medidas ambientais.

De acordo com o prefeito, ele só soube da determinação da Anac pela imprensa. "É um desrespeito com a população da Barra. Ninguém ali quer ponte aérea. A prefeitura vai brigar contra. E eu digo brigar porque eu queria poder dizer que eu vou argumentar contra, mas como a Anac tem um péssimo hábito de nunca consultar a prefeitura sobre nada, eles vão ter briga", acrescentou Paes. O governo estadual informou que só vai se pronunciar após conhecer o projeto, mas acrescentou que está disposto a discutir o tema, se for consultado. O governo também afirmou que, se a nova ponte aérea for contra os interesses do governo, ele "vai reagir". AS informações são do jornal O Estado de S. Paulo .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.