Nova mostra do acervo do Masp vai destacar romantismo

O professor da Universidade de São Paulo (USP) e crítico José Teixeira Coelho aceitou em 2006 o convite para ser curador-coordenador do Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand (Masp). Desde então, ele vem promovendo um programa curatorial para a instituição, voltado a uma abertura para a arte contemporânea e que tem também como destaque a reformulação da maneira de exibir o acervo do museu.

Agência Estado |

Para fazer as mostras com obras da coleção do museu - formada, no total, por 7,7 mil -, Teixeira Coelho optou por retirar a exibição anterior dividida por escolas artísticas e seus países (arte francesa, italiana, flamenga, etc.) e preparar exposições temáticas de longa duração. Já foram apresentadas "Olhar e Ser Visto" (sobre o retrato), "Natureza das Coisas" (natureza-morta), "Virtude e Aparência" (o sagrado e o profano) e "Arte do Mito" (mitologias) e agora para 2010 o Masp inaugura na sexta-feira para o público a mostra "Romantismo - A Arte do Entusiasmo", que reúne 79 obras de mestres da coleção. "O específico da mostra é que ela procura tratar do romantismo não como um movimento clássico, escolar, que acontece no século 18, mas como uma linha de pensamento do Ocidente, cheia de contradições", diz o curador.

A exposição se abre com obras que se referem diretamente ao romantismo, como as que dizem respeito à natureza e sua presença esmagadora sobre o homem - dentre elas estão "Paisagem com Pastores", de Alessandro Magnasco (séc. 18); "Cachoeira de Paulo Afonso" (1649), de E.F. Schute (1649), "O Grande Pinheiro" (1839-1906), de Cézanne. Mas há na mostra entradas para outros caminhos dentro do tema escolhido. O exotismo é uma das portas, com Gauguin e o "exemplo máximo brasileiro" representado por "Moema" (1866), de Victor Meirelles.

Há ainda os segmentos "estados de espírito", uma reunião de retratos de Daumier, Manet e Modigliani, entre outros, e "visões do fantástico" (os onirismos), até se chegar aos "novos romantismos", com trabalhos do século 20 de Léon Ferrari, Wega Nery, Manabu Mabe, Amelia Toledo e André Simon, por exemplo. "Parto de uma observação do Kosuth de que os conceituais são profundamente românticos. São quadros gestuais, que puxam você para dentro deles e nada é mais romântico que isso", afirma o curador. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Romantismo - A Arte do Entusiasmo . Masp. Avenida Paulista, 1.578. Tel. (011) 3251-5644. 11 h/18 h (fecha 2.ª e 5.ª, das 11 h/20 h). R$ 15 (R$ 7 meia-entrada). Abertura na 5.ª, 19h30, para convidados e na 6.ª para o público.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG