O governador José Serra (PSDB) inaugura neste sábado a nova pista da Marginal do Tietê, embora parte da obra esteja inacabada. Há pelo menos seis trechos que não devem ficar prontos até a solenidade.

Além disso, não foi colocada sinalização horizontal em trechos da via, como determina o Código de Trânsito Brasileiro, e não há iluminação, que só deve ser instalada em seis meses.

No fim da tarde de sexta-feira, pelo menos seis trechos tinham trabalhos atrasados. No sentido da Rodovia Castelo Branco, embaixo da Ponte Cruzeiro do Sul, por exemplo, havia uma grande cratera com barro onde será feita uma pista auxiliar. As fortes chuvas de quinta-feira alagaram o local e, por volta das 17h30, funcionários ainda tentavam bombear a água.

Pouco adiante, caminhões ainda despejavam massa asfáltica sobre o buraco aberto na altura da Ponte das Bandeiras e a situação é parecida perto da Ponte da Casa Verde. Há problemas perto das Pontes Jânio Quadros e do Tatuapé, com trechos que ainda não receberam asfalto. Dificilmente ficará pronta também a pista auxiliar na altura do Rio Tamanduateí (sentido Castelo), onde ainda há pedras, barro e escavadeiras sendo usadas.

A marcação que orienta e dá segurança também não está implementada, e a estimativa do governo estadual é finalizar as pinturas horizontais de faixas até o final de abril. As obras custaram mais de R$ 1,3 bilhão até agora.

O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) determina que uma via só pode ser liberada com sinalização concluída. As novas pistas também ficarão às escuras. Os contratos de iluminação foram assinados no dia 17 deste mês, ao custo de R$ 53,3 milhões.

A Dersa, gerenciadora das obras, informou que o sistema de iluminação "estará sendo implantado e restaurado até a conclusão das obras", em outubro. Já a sinalização horizontal "está sendo implantada e finalizada até o fim de abril". As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.