Nova linha do Metrô de São Paulo deve ter catraca livre em janeiro

Em janeiro, quando tiverem início os testes com trens na Linha 4-Amarela do Metrô de São Paulo, as catracas devem ser liberadas para a população conhecer o trajeto. O mesmo esquema já foi utilizado no período de testes das linhas 1-Azul e 2-Verde.

Agência Estado |

O primeiro trecho a entrar em operação será entre as futuras estações Faria Lima e Paulista, o mesmo trajeto do teste com catraca livre. Apenas um trem fará esse percurso nos primeiros meses de 2010, até que as composições restantes cheguem ao Brasil.

A Companhia do Metrô informa, no entanto, que a catraca livre para o usuário é uma ação que deve ser definida pela concessionária. "Conforme prevê o contrato de concessão de operação da Linha 4-Amarela do Metrô, o concessionário ViaQuatro apresentará as diretrizes operacionais, inclusive sobre eventuais visitas controladas do público, que serão avaliadas tempestivamente pelo poder concedente", diz a nota. A ViaQuatro informou que não pode se pronunciar sobre o assunto.

O contrato de concessão prevê a compra de 14 trens nessa primeira fase de operação da linha, até o final de 2010: estações Luz, República, Paulista, Faria Lima, Pinheiros e Butantã. O descumprimento pode acarretar, inclusive, na perda da concessão. "O cronograma da entrega dos trens está compatível com a demanda prevista para o início da operação da linha. Seguindo esse cronograma, o primeiro trem será entregue já no fim de novembro e os 13 restantes chegarão gradativamente até o fim de junho de 2010", informa a Assessoria de Imprensa da ViaQuatro, responsável pela operação e manutenção da nova linha.

A previsão é que o primeiro trem da Linha 4-Amarela chegue ao Porto de Santos no dia 15 ou 16. Ele foi fabricado na Coreia do Sul pela Hyundai Rotem. Partiu do Porto de Busan em 15 de outubro. São 32 dias de viagem até São Paulo. Em setembro, uma comissão de representantes do Metrô visitou a fábrica coreana para conhecer o modelo a ser adotado em São Paulo.

Características
Os trens da Linha 4 terão passagem livre entre carros e sistemas que permitirão a comunicação direta com o Centro de Controle Operacional. A saída de emergência é feita por meio de porta frontal, com uma rampa que desce até a via. A linha será a primeira na América Latina a entrar em funcionamento com divisórias de vidro separando a plataforma de passageiros dos trilhos.

Os carros não têm cabines de condutor, pois vão funcionar pelo sistema driverless, que permite a operação sem a presença de um técnico dentro do trem. A disposição dos bancos de passageiros também é diferente dos conhecidos pelos usuários do metrô: os assentos são laterais e enfileirados.

Leia mais sobre: Metrô 

    Leia tudo sobre: metrô

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG