Nova campanha de trânsito tem foco em crianças

BRASÍLIA - Os acidentes de trânsito são os maiores responsáveis pela morte de crianças de um a nove anos de idade. De acordo com dados do Ministério da Saúde, de cada dez crianças mortas em 2006, três foram vítimas de acidentes de trânsito.

Agência Estado |

Para tentar reverter essa estatística, os Ministérios da Saúde e das Cidades lançaram hoje uma Campanha Nacional de Trânsito pela primeira vez com foco nas crianças.

Inspirada nos contos de fadas, a campanha "Ajude a salvar nossas crianças. Cuide delas no trânsito" estará nas ruas até o dia 11 de novembro em peças publicitárias nas rádios, tevês, jornais e também em panfletos que serão distribuídos nos sinais de trânsito. A campanha vai consumir R$ 12,6 milhões e, conforme destacou o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, o objetivo é despertar a consciência dos pais e responsáveis para que redobrem os cuidados ao volante.

Temporão lembrou que o Brasil vem reduzindo a taxa de mortalidade infantil por doenças, mas disse que, no sentido inverso, o número de crianças mortas por causas externas vem crescendo e os acidentes de trânsito lideram o ranking. "O Brasil está vendo a mortalidade infantil despencar, a mortalidade por diarréia, doenças infecciosas, relacionadas ao parto, desnutrição, pneumonia cai. Por outro lado, as mortes causadas por violência e relacionadas com o trânsito aumentam", disse Temporão.

Segundo o ministro, a campanha visa a conscientizar os pais, os responsáveis pelas crianças, e elas próprias, para que cobrem dos adultos que não coloquem crianças pequenas no banco da frente, que todos estejam com cinto de segurança no banco de trás e que não dirijam depois de beber. A campanha alertará ainda para a necessidade de verificar as condições do veículo e de respeito ao limite de velocidade.

O ministro das Cidades, Márcio Fortes, lembrou que perdeu um filho em um acidente de trânsito e que, quando criança, quase foi atropelado ao correr atrás de seu cachorro que havia fugido. "Acho que o principal para a garotada é lembrar que não se deve correr atrás de pipa, gato, cachorro e segurar a mão de um adulto para atravessar a rua. No carro, as crianças devem andar no banco de trás e com o cinto de segurança".

Leia mais sobre: campanhas de trânsito

    Leia tudo sobre: transito

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG