Nobel de literatura será entregue em meio a polêmica com norte-americanos

ESTOCOLMO ¿ Na maior parte das vezes, as grandes questões antes do anúncio do Prêmio Nobel de literatura são se ele será entregue a um homem ou mulher, poeta ou novelista. Mas, em 2008, a pergunta na cabeça de muita gente é se o vencedor será norte-americano.

AP |

Acordo Ortográfico

As especulações começaram na semana passada, quando o secretário permanente da Academia Sueca, Horace Engdahl, declarou à Associated Press que os Estados Unidos são uma nação muito insular e ignorante para desafiar a Europa como centro do mundo literário.

"Os Estados Unidos são muito isolados, insulares. Não traduzem o suficiente e de fato não participam do grande diálogo da literatura", disse. "Essa ignorância é muito limitante."

Secretário Horace Engdahl provocou
desconforto no mundo literário / AP

Engdahl se referia à literatura norte-americana em geral ¿ não a autores específicos ¿, mas alguns especialistas notaram um sentimento antiamericano que poderia prejudicar eternos candidatos estadunidenses, como Philip Roth, Joyce Carol Oates e Don DeLillo.

Engdahl negou as acusações de que o comitê deliberativo da Academia Sueca seja influenciado por política ou nacionalidade ao escolher os premiados. "Nossa decisão é baseada puramente na avaliação literária", disse numa entrevista em setembro, acrescentando que a academia é "muita variada politicamente".

O secretário afirmou que muitas das escolhas do comitê já foram interpretadas como politicamente controversas, uma vez que a "grande literatura sempre é controversa".

Na véspera do anúncio, a agência de apostas britânica Ladbrokes dá ao escritor italiano Claudio Magris as maiores chances de vitória, na frente do poeta sírio Adonis e do autor israelense Amos Oz. Roth, o favorito do ano passado, caiu para a quinta posição da lista.

Desde que o japonês Kenzaburo Oe venceu o prêmio em 1994, o Nobel de literatura tem um claro sabor europeu. Nove dos ganhadores subsequentes eram da Europa, inclusive a do ano passado, a britânica Doris Lessing. Dos quatro restantes, um era da Turquia e os outros da África do Sul, China e Trinidad e Tobago, todos com laços estreitos com a Europa. O último escritor norte-americano a ganhar o prêmio foi Toni Morrison, em 1993.

Torcida pelo prêmio

Os comentários de Engdahl provocaram reações ferozes do outro lado do Atlântico. O presidente da National Book Foundation se dispôs a enviar a ele uma lista com sugestões de leitura. Na Suécia, Jonas Thente, crítico literário do jornal Dagens Nyheter, disse torcer para que os norte-americanos Thomas Pynchon e Don DeLillo dividam o prêmio.

Don DeLillo, um dos norte-americanos
na disputa pelo Nobel / Divulgação

"O escândalo desse ano envolve a literatura estadunidense, que foi de certa forma desrespeitada pela secretaria da academia", declarou Thente em um vídeo postado no site do jornal. "Espero que a grande novela pós-moderna norte-americana conquiste o prêmio."

A Academia Sueca não raro escolhe autores obscuros, fazendo com que seja praticamente impossível prever o vencedor, mas Engdahl negou que a intenção seja surpreender a crítica.

"Ficamos chocados pelo fato de que grande parte do público ache a escolha tão inesperada", afirmou. "Aqueles que finalmente recebem o prêmio e são laureados geralmente são velhos conhecidos, nos quais a academia está de olho há um bom tempo e, portanto, são bastante famosos."

Outros nomes cotados para 2008 são a novelista romena Herta Muller, o autor japonês Haruki Murakami, o peruano Mario Vargas Lossa e a poeta dinamarquesa Inger Christensen.

O escritor cujo nome Engdahl ler em voz alta nesta quinta-feira será catapultado ao palco mundial e terá a garantia de ver suas vendas decolarem e suas obras fora de circulação de volta nas prateleiras.

Além do cheque de US$ 1,4 milhão, o ganhador também vai receber uma medalha de ouro e será convidado a dar uma palestra na sede da academia, na capital sueca.

O Prêmio Nobel de literatura é entregue em Estocolmo no dia 10 de dezembro ¿ data da morte de Nobel, em 1896 ¿ junto com os ganhadores de medicina, química, física e economia. O Prêmio Nobel da Paz é entregue em Oslo, na Noruega.

Leia mais sobre: Nobel de Literatura

    Leia tudo sobre: nobel de literatura

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG