No Rio, soldado de UPP é preso por roubar caixa

Escolhido para integrar a tropa responsável pela paz nos morros Pavão-Pavãozinho e Cantagalo, na zona sul do Rio de Janeiro, o soldado da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Leonardo da Cruz Cortez, de 27 anos, foi preso com três comparsas após tentar roubar um caixa eletrônico em uma agência bancária, no bairro do Ingá, em Niterói, região metropolitana, na madrugada de ontem. Reprovado na pesquisa social no Centro de Formação de Praças, ele foi incorporado há menos de um ano por uma decisão judicial.

Agência Estado |

"Infelizmente, o Estado não tem uma bola de cristal para saber quem vai delinquir. A Polícia Militar agiu rápido e ele foi preso pelos colegas de farda", disse o delegado-adjunto da 78ª DP do Fonseca, Leonardo Afonso dos Santos. Todos foram indiciados por furto triplamente qualificado pelos danos causados, falsidade ideológica e fraude.

De acordo com a polícia, o roubo foi planejado. O grupo tentou arrombar com maçaricos os caixas eletrônicos. Eles fizeram um banner com a logomarca do banco para fingir que eram funcionários da manutenção. Na agência, que fica a 200 metros de uma cabine da PM, a polícia encontrou luvas, chaves de fenda, óculos de proteção e botijões de gás. "Eles levaram caixas de isopor para tampar as câmeras e os sensores. Usaram até água mineral para resfriar as notas por causa do maçarico", disse o delegado.

Apesar do esmero, o alarme disparou e a PM foi chamada. O policial da UPP foi preso com Nilton Cordeiro, de 22 anos, quando pegava um botijão de gás no carro. Ele negou ligação com o roubo, mas policiais encontraram ligações no celular dele para dois homens presos na agência. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG