No Rio, Paes e Gabeira vão do confronto à monotonia

Os candidatos a prefeito do Rio pelo PV, Fernando Gabeira, e pelo PMDB, Eduardo Paes, protagonizaram ontem um confronto que intercalou momentos de enfrentamento com outros de discussão morna no último debate da campanha eleitoral, na Rede Globo. Os candidatos inicialmente se confrontaram com dureza - Paes acusando Gabeira de ter o apoio do prefeito Cesar Maia e Gabeira dizendo que o peemedebista é apoiado pelo petista Jorge Babu, acusado de envolvimento com milícias (grupos de policiais criminosos).

Agência Estado |

O peemedebista disse preferir o apoio de Babu do que de Maia. No final do encontro, Gabeira revidou: "Prefiro o apoio de Maia, com a ressalva de que ele não vai participar do governo". Depois, porém, moderaram suas posições, levando o debate, em alguns momentos, à monotonia.

Primeiro a perguntar, Gabeira pediu a Paes que explicitasse sua pregação da necessidade de integração dos governos municipal, estadual e federal. Paes reafirmou a posição de sua propaganda. "O povo não agüenta mais ver a cidade ser usada como trincheira", afirmou. Gabeira argumentou que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o governador Sérgio Cabral (PMDB) são "republicanos" e lembrou que Lula tem bom relacionamento com os prefeitos de São Paulo e Curitiba, de oposição, o que, pelo seu raciocínio, tornaria indiferente o partido do eleito. "Não é o que tem acontecido nos últimos 20 anos", disse Paes. "O atual prefeito, que apóia Gabeira, é o campeão do mau relacionamento."

Paes questionou Gabeira por ter feito discurso na Câmara contra prisão de prostitutas. "Sou contra a perseguição", respondeu Gabeira. "Sou contra o projeto que o deputado Gabeira apresentou de legalização da prestação de serviços de natureza sexual", rebateu Paes. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG