No primeiro dia de rodízio de caminhões, São Paulo tem trânsito reduzido

SÃO PAULO - A cidade de São Paulo registrou uma melhora no trânsito no primeiro dia em que o rodízio municipal de veículos passou a valer também para caminhões nas vias que delimitam o Centro Expandido da cidade. Às 11 horas, a cidade acumulava 27 km de lentidão, o correspondente a 3,2% dos 835 km monitorados pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). A média para o horário é de 9,7%. Nesta semana, a cidade enfrenta outro agravante, a volta às aulas.

Lecticia Maggi, repórter Último Segundo |


A restrição aos caminhões seguirá o mesmo horário (das 7h às 10h e das 17h às 20h) e critério do rodízio de carros (o final da placa). Caminhões com placas com final 1 e 2 ficam proibidos de rodar às segundas-feiras; 3 e 4, às terças; 5 e 6, às quartas; 7 e 8, às quintas e 9 e zero, às sextas. Quem descumprir o rodízio pagará multa de R$ 85,13.

Patrícia Santos/AE
Rodízio em SP
Blitz fiscaliza trânsito de caminhões
A proibição vale nas seguintes vias: Marginal do Rio Tietê, entre a Avenida Salim Farah Maluf e Marginal do Rio Pinheiros; Marginal Pinheiros, da Marginal Tietê até a Avenida dos Bandeirantes; e Avenida Professor Luís Ignácio de Anhaia Melo, entre o Viaduto Grande São Paulo e a Avenida Salim Farah Maluf. Vigora ainda em toda a extensão da Bandeirantes, Avenida Afonso D'Escragnole Taunay, Complexo Viário Maria Maluf, Avenida Presidente Tancredo Neves, Rua das Juntas Provisórias, Viaduto Grande São Paulo e Salim Farah Maluf.

Estão liberados do rodízio caminhões do Corpo de Bombeiros, de coleta de lixo, guinchos, alimentos perecíveis, serviços públicos essenciais e dos Correios.

Em blitz de fiscalização realizada na Marginal Tietê por agentes da CET e policiais, o secretário de Transportes, Alexandre Moraes, que acompanhou a blitz junto com o prefeito Gilberto Kassab, afirmou que a expectativa é tirar diariamente 24 mil caminhões das ruas, causando uma melhora de 5% a 7% no trânsito.

Kassab disse que, apesar de alguns caminhoneiros terem afirmado que foram pegos de surpresa pelo rodízio porque vieram de outros Estados, houve um trabalho de divulgação da nova medida. Há diversas faixas na entrada da cidade. Quem passa poderia perceber. Não é sacrifício, uma vez por semana, as pessoas se programarem para respeitarem a legislação, afirmou Kassab.

Esta foi a reclamação do caminhoneiro Damião Francisco dos Santos, de 31 anos, que chegou no domingo, durante a noite, à capital paulista vindo de Salgueiro, em Pernambuco, e afirmou que não tinha conhecimento da medida. Saí cedo, descarreguei o caminhão e agora que ia voltar para casa fui abordado pela CET, disse.

Liminar negada

O vice¿presidente do Sindicado das Empresas de Transporte de Carga de São Paulo e Região (SETCESP), Manuel Sousa Lima Júnior, de 57 anos, esteve presente no local onde foi montada a blitz de fiscalização. Ele relatou que o sindicato entrou com uma liminar, na quinta-feira, para suspender o novo rodízio para os caminhões, mas ela foi negada já no dia seguinte.

Não nos resta outra alternativa do que aguardar e sofrer os impactos que a medida pode trazer, disse. Segundo ele, além dos caminhoneiros que vêm de outras regiões terem que adequar os horários para cumprir o rodízio, a cidade corre o risco de desabastecimento. Com a retirada dos caminhões grandes da zona de restrição, deve aumentar o número de veículos menores para fazer este transporte. O custo disso é maior e deve ser repassado ao consumidor, afirmou.

O rodízio é a mais recente medida do pacote da Prefeitura, que pretende aumentar a fluidez no trânsito da capital paulista. Em 30 de junho, a área de restrição de caminhões no centro expandido da cidade aumentou de 25 para 100 quilômetros quadrados. Caminhões de grande porte só podem circular nessas regiões entre 21h e 5h. Os Veículos Urbanos de Carga (VUCs) estão sujeitos ao rodízio de placas pares e ímpares para circular nesses locais.

Volta às aulas

A volta às aulas, que começa nesta semana, será um teste para verificar se o conjunto de medidas funciona. A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) prepara um esquema especial de trânsito nesta semana, por causa do fim das férias escolares.

A medida, segundo a CET, tem como objetivo garantir a fluidez, segurança e mobilidade dos motoristas e pedestres, devido ao aumento do fluxo de veículos, em especial nos acessos e chegadas das rodovias.

Uma das providências será o monitoramento próximo aos terminais rodoviários Tietê, Barra Funda e Jabaquara, para garantir a acessibilidade na região. Os usuários podem obter mais informações via Internet ( www.cetsp.com.br ) ou pelo telefone 156 (Central de Atendimento da Prefeitura - 24 horas no município de São Paulo).

(*com informações da Agência Estado)

Leia também:

Leia mais sobre: caminhões

    Leia tudo sobre: caminhão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG