No PR, 1/3 dos deputados ultrapassou pontos da CNH

Pelo menos um terço dos 54 deputados estaduais do Paraná ultrapassou o limite de 20 pontos anuais na Carteira Nacional de Habilitação (CNH), estabelecido pelo Código de Trânsito Brasileiro (CTB), e estão com processo de suspensão aberto no Departamento de Trânsito do Paraná (Detran). Sete já tiveram o documento suspenso e outros 11 foram notificados, alguns com recurso protocolado.

Agência Estado |

Entre eles, estão quatro dos cinco integrantes da Comissão de Ética, que deve analisar processo de cassação do mandato do deputado Fernando Ribas Carli Filho (PSB), que soma 125 pontos e é acusado de, ao dirigir embriagado e em alta velocidade, provocar a morte de dois jovens em Curitiba.

O levantamento foi feito pelo jornal "Folha de Londrina", que não teve acesso aos prontuários de 16 parlamentares. O presidente da Comissão de Ética, deputado Pedro Ivo Ilkiv (PT), apresenta 16 pontos na carteira, mas uma das multas é gravíssima, por transitar em velocidade superior a 25% à permitida em rodovia (artigo 218 do CTB), o que acarreta suspensão do direito de dirigir. Ele disse que a multa é de 2003. No recurso, alega não ter percebido uma placa que determinava velocidade de 40 quilômetros, continuando a trafegar a 80 quilômetros por hora. "Entendo que não me desabona para estar à frente da Comissão de Ética, mas se os familiares das vítimas entenderem que isso me desabona, ponho meu cargo à disposição", afirmou.

O deputado Reinhold Stephanes Júnior (PMDB), também integrante da Comissão de Ética, ressaltou que os 55 pontos anotados em sua carteira são a somatória de todo o período em que tem a habilitação. No entanto, ele tem um processo de suspensão em andamento por ter alcançado o limite de 20 pontos em 2006. Segundo o deputado, uma das multas por estacionamento foi aplicada de forma irregular. "Bati uma foto e fiz recurso dessa multa", acentuou.

Igualmente membro da comissão, o deputado Ademar Traiano (PSDB) tem 43 pontos. Segundo ele, as multas foram aplicadas quando funcionários dirigiam os carros. "Estamos em fase recursal e minha carteira não está cassada", afirmou. "Se a mesa entender que é necessário o afastamento (da Comissão de Ética), não tem nenhum problema." O deputado Osmar Bertoldi (DEM) também não se sente impedido de analisar o processo. "Não são multas graves", justificou. Ele igualmente creditou aos funcionários os 24 pontos na carteira.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG