No pedido de licença remunerada, Agaciel acusa Zoghbi

O ex-diretor-geral do Senado Agaciel Maia anexou à sua carta de pedido de afastamento remunerado do Senado, pelo período de 90 dias, uma nota na qual o analista legislativo da Casa, Valdeque Vaz de Souza, e a filha dele, Lia Raquel Vaz de Souza, negam a participação do ex-diretor-geral na contratação da filha por ato secreto. Os dois transferem essa responsabilidade ao ex-diretor de Recursos Humanos João Carlos Zoghbi.

Agência Estado |

Reportagem do jornal O Estado de S. Paulo revelou que ato secreto do Senado serviu para nomear Lia em cargo que estava vago no gabinete do senador Demóstenes Torres (DEM-GO), à revelia do senador, que descobriu o fato pelo jornal. Lia Raquel ficou por 14 dias recebendo pelo gabinete de Demóstenes. A concessão do cargo, diz a nota, "foi feita pelo então diretor de recursos humanos".

Na nota eles afirmam ter sido "sem qualquer solicitação ou interferência" de Agaciel Maia. "Se realmente o então diretor-geral Agaciel Maia assinou qualquer ato de remanejamento de Lia Raquel, esse fato causa estranheza", diz a nota, que afirma ainda que a iniciativa foi de Zoghbi, diretor da secretaria à qual Lia estava prestando serviços.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG