Nível de represa atinge 100,4% e alerta Atibaia-SP

A Prefeitura de Atibaia (SP) montou uma força-tarefa para proteger os moradores da cidade de uma possível enchente em escala imensurável na noite desta terça-feira e amanhã. O plano de ação foi necessário após a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) informar ao prefeito José Bernardo Denig (PV), na noite de ontem, que o volume da represa de Nazaré Paulista estava prestes a chegar à tulipa, compartimento de segurança para extravasar o excesso de água do reservatório.

Agência Estado |

Segundo informou a administração municipal, a represa de Nazaré Paulista operava com 100,4% de sua capacidade no fim da tarde desta terça-feira. Mesmo com as comportas abertas a uma vazão de 18 metros cúbicos por segundo - o volume normal é de 10 metros cúbicos por segundo - às 17 horas desta terça-feira a água começou a entrar pela tulipa. O atual quadro é de risco de um espraiamento maior do Rio Atibaia, atingindo locais que ainda não foram prejudicados. A prefeitura informou que não há como prever a área de impacto.

Durante toda a terça-feira famílias instaladas em áreas inundadas pela água de cheias passadas, como a Vila São José, Jardim Kanimar e Parque das Nações, e em áreas secas foram informadas por equipes da prefeitura sobre a situação de risco à qual estão expostas e tiveram apoio da administração, Defesa Civil, Corpo de Bombeiros e PM para retirar objetos de suas residências, com caminhões ou botes, no caso de áreas já alagadas.

Do início de janeiro até agora cerca de 800 famílias já foram prejudicadas pelas enchentes, 65 desabrigadas estão em alojamentos provisórios da prefeitura, 40 desalojadas foram para a casa de parentes ou amigos e 36 mudaram-se definitivamente dos bairros atingidos para outros locais. A prefeitura prepara outros dois alojamentos em escolas do município com mais 30 a 40 vagas em cada um. "O prefeito deu diretrizes para mantermos a posição de alerta, para a possibilidade de retirar famílias dos locais de risco", disse o secretário de Meio Ambiente e Urbanismo, José Roberto Tricoli.

Segundo informou o chefe do Departamento de Defesa Civil de Atibaia, Maurício Benevides, a estratégia faz parte de um plano de contingência. "Dependendo do tamanho da emergência, o plano prevê a remoção da população desses locais", disse Benevides. Nessa terça-feira, muitas das famílias avisadas já deixaram suas casas e foram para residências de parentes ou amigos. A prefeitura não soube informar o número de moradores que deixaram suas casas.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG