Nenê faz do desfile a festa de 60 anos de avenida

O Grêmio Recreativo Escola de Samba Nenê de Vila Matilde, última escola do Grupo Especial a desfilar hoje no Sambódromo do Anhembi, em São Paulo, promete um desfile grandioso para festejar os 60 anos de fundação da agremiação. Com o samba-enredo 60 Anos Coração Guerreiro - A Grande Refazenda do Samba, puxado por Royce do Cavaco, a escola vai relembrar os grandes enredos que marcaram sua história, como os 11 títulos de campeã do carnaval paulista - o último em 2001 - e a influência da madrinha Portela, da qual herdou as cores azul e branco e a Águia como símbolo.

Agência Estado |

O enredo apresenta também a trajetória de seu fundador, Alberto Alves da Silva, o seu Nenê, de quase 90 anos, que passou recentemente por uma cirurgia. Segundo o diretor de harmonia, Rogério Márcio (Pezão), seu Nenê será a estrela da escola na avenida. "Ele está se recuperando, fazendo fisioterapia, mas estará na avenida para comemorar os 60 anos da escola", revela. Seu Nenê foi submetido a uma cirurgia de próstata. Até mesmo a Mangueira foi lembrada no enredo. De acordo com Rogério, o ritmo da Nenê foi inspirado na Verde-e-Rosa. E destaca ainda a paixão de seu fundador pelo Corinthians.

Outra novidade é a estreia do carnavalesco carioca Lucas Pinto. Ganhador do Estandarte de Ouro no Rio de Janeiro, com a Grande Rio, e em São Paulo, com a X-9 Paulistana, Lucas já passou também por escolas como Viradouro e Unidos da Tijuca. O carnavalesco prefere manter segredo sobre como será o desfile da escola, mas anuncia que a comissão de frente, formada por 13 integrantes, vai "entrar para arrebentar". "A evolução da comissão de frente é guardada a sete chaves. Só posso adiantar que tem tudo a ver com a história da escola", diz ele.

A azul-e-branco da zona leste mantém a tradição de levar apenas pessoas da comunidade para a avenida como a rainha de bateria, Simone Sampaio, e o casal de mestre-sala e porta-bandeira Nelsinho e Rúbia. "A Nenê é uma escola da comunidade. E dá destaque às pessoas da comunidade. A Simone, por exemplo, é belíssima. Ela foi eleita a rainha das rainhas do carnaval", frisa o carnavalesco. Simone foi eleita, há dois anos, pela Liga das Escolas de Samba de São Paulo e pelos órgãos de turismo da cidade, como SPTuris, como a rainha das rainhas do carnaval, título que é vitalício.

Como aconteceu em 2008, quando ficou em 8º lugar na classificação, a agremiação vai fechar o desfile de hoje. A escola tem a entrada na avenida prevista para as 4h45, já na madrugada de sábado. Para Rogério Márcio, a principal diferença entre desfilar durante a noite ou com o dia nascendo fica por conta dos efeitos nos carros alegóricos. "O que acontece é que a escola começa a desfilar à noite e termina de manhã. Os carros da frente vão com luzes, néon, brilho. Já os últimos trazem menos brilho e mais efeitos como fumaça, chuva de papel picado", diz Rogério. "A Nenê sabe como fechar um carnaval. É uma escola que já é tradicional em São Paulo. No ano passado já foi assim", completa Lucas.

Neste ano a escola vai entrar na avenida com 3.800 componentes, divididos em 22 alas. Ao todo, são cinco carros alegóricos, número máximo permitido pelo estatuto das Escolas de Samba. Até o final de janeiro, a escola já havia investido cerca de R$ 1,2 milhão entre verba da Prefeitura, arrecadação na comunidade e venda de fantasias. Este ano, a escola não tem patrocínio. Confira a seguir a letra do samba-enredo da Nenê de Vila Matilde, dos compositores Cláudio Russo, Marquinhos, J. Veloso, Ney do Cavaco e Cláudio Tricolor:

"60 Anos Coração Guerreiro - A Grande 'Refazenda' do Samba"

Num show brilhou a inspiração
Iluminando o coração de um menino
E a minha Águia faz, seu voo e traz
A sua história, seu presente, seu destino...
Falar de amor, encontrar a canção
Aplausos ao meu Pavilhão
Quilombo do samba a nascer
Foi lá na Casa Grande a Senzala a se erguer

A negra herança que balança a poesia
No culugundum da bateria

Em Sampa ecoa meu cantar
Das mãos do cacique vi brotar
Semente do samba, valente guerreira
A minha escola não é brincadeira

Sambas, marcaram sua história, Vila Matilde
A bênção Portela, valeu Verde e Rosa
Sou da negritude o fruto e a raiz
Corintiano, coração bate feliz...
Sabe porque?
O samba é o nome e o sobrenome é Nenê
A zona leste refazendo O Carnaval
Do Largo do Peixe ao espaço sideral
Mais que sessenta, muito mais!... A eternidade
Agora agüenta que é só felicidade

Samba aí que eu quero ver você sambar
Vem comigo festejar
Alô! Você que todo ano me espera
Sessenta anos!... Sou Nenê com a galera.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG