A Polícia Civil do Distrito Federal indiciou o dono da companhia aérea Gol, Nenê Constantino, de 77 anos, pela morte de Márcio Leonardo de Sousa Brito. A corporação fez o anúncio na tarde de hoje.

Segundo a delegada Mabel Farias, o motivo do crime seria a disputa de um terreno de uma garagem do empresário.

A vítima, que foi baleada em dezembro de 2001, representava as cerca de 100 pessoas que ocupavam a área. De acordo com a polícia, também foram indiciados o motorista aposentado João Alcides Miranda, de 61 anos, e o vereador Vanderlei Batista Silva, de 67 anos. A dupla teria intermediado a contratação dos executores do crime.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.