Nélida Piñon propõe convênio com universidade espanhola

SALAMANCA ¿ A escritora carioca Nélida Piñon propôs hoje em Salamanca, na Espanha, um convênio entre o Centro de Estudos Brasileiros da universidade local e a Academia Brasileira de Letras (ABL), entidade da qual é membro e que presidiu em 1997.

EFE |

Piñon, que recebeu o Prêmio Príncipe de Astúrias de Letras em 2005, fez esta proposta ao receber uma homenagem por ocasião de sua nomeação como conselheira do Centro de Estudos Brasileiros da Universidade de Salamanca (Usal).

Ao propor a criação de uma associação com a ABL, a escritora lembrou que a instituição "consagra a língua portuguesa e a literatura nacional".

O reitor da Usal, José Ramón Alonso, expressou sua disposição a receber todo tipo de propostas e ideias de Piñon com o objetivo de "impulsionar as relações" da universidade com o Brasil.

Neste sentido, o diretor do Centro de Estudos Brasileiros da Usal, Gonzalo Gómez Dacal, anunciou que um dos primeiros projetos de colaboração será fomentar os estudos literários sobre Machado de Assis.

Jornalista por formação, Nélida Piñon estreou como romancista em 1961 com a obra "Guia-mapa de Gabriel Arcanjo". Com "A Casa da Paixão" (1972), ganhou o prêmio Mario de Andrade. Em 1984, escreveu aquela que seria considerada como sua principal obra, "A República dos Sonhos" (1984).

Seus livros foram publicados em mais de 20 países e traduzidos para dez idiomas. Em 1989, foi eleita como membro da ABL.

Leia mais sobre: ABL , Nélida Piñon

    Leia tudo sobre: ablliteraturanélida piñon

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG