Negado habeas-corpus a suposto membro do PCC

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) manteve nesta terça-feira a prisão de Sidnei de Jesus Ribeiro, acusado de integrar a facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC). A detenção dele foi determinada pela 4ª Vara Criminal de Campinas, no interior do Estado, a pedido do Ministério Público paulista.

Agência Estado |

Segundo o STF, a denúncia do MP traz que Ribeiro se juntou a outros indivíduos para traficar drogas, na forma de uma organização criminosa estruturada hierarquicamente.

Ao negar o pedido de habeas-corpus, a relatora do caso, ministra Ellen Gracie, afirmou que "houve fundamentação idônea à manutenção da prisão". Para ela, "há elementos indicativos no sentido de que as atividades criminosas eram realizadas de modo reiterado, organizado e com alto poder ofensivo à ordem pública".

    Leia tudo sobre: pcc

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG