Náutico goleia Cruzeiro e deixa zona de rebaixamento

O Náutico provou neste sábado que a força dos Aflitos pode fazer a diferença nesta reta final do Brasileirão, na luta do time pernambucano para permanecer na Série A em 2009. Empurrada pela torcida, a equipe do técnico Roberto Fernandes atuou bem e aplicou uma goleada por 5 a 2 no Cruzeiro, se garantindo fora da zona de rebaixamento nesta 35.

Agência Estado |

ª rodada do Brasileirão.

Na próxima rodada, o Náutico, que agora soma 40 pontos, enfrenta o Figueirense em Florianópolis, na quinta-feira. A partida é mais um confronto direto para fugir da degola, já que a equipe catarinense está na zona de perigo.

Já o Cruzeiro, que permanece no G-4, com 61 pontos, mas agora com chances remotas de título, volta a campo contra o Flamengo, no próximo domingo. O jogo é no Mineirão, e é fundamental para ambas as equipes na briga por uma vaga à Libertadores.

Logo no início da partida no Estádio dos Aflitos, era possível perceber que o equilíbrio marcaria o confronto no Recife. Ambas as equipes se arriscavam no ataque, mas era o Náutico que tinha uma postura mais firme na defesa, se fechando bem atrás. Com isso, o Cruzeiro tinha dificuldade até na saída de bola, o que acabou provocando o primeiro gol.

Ainda aos quatro minutos, a zaga do Cruzeiro se atrapalhou e a bola sobrou para Gilmar. O atacante do Náutico avançou em velocidade e Léo Fortunato tentou de tudo para fazer a falta, agarrando o jogador do time pernambucano pela camisa. Mesmo assim, Gilmar se desvencilhou da falta e acertou um chute rasteiro no canto esquerdo do goleiro Fábio.

Logo após o gol, o Náutico teve um momento de superioridade na partida, se lançando mais ao ataque para tentar marcar o segundo. A tentativa de ampliar o marcador, porém, deixou espaços para o Cruzeiro rondar a área do time pernambucano e até chegar ao empate.

Depois que Ramires chegou a abrir o marcador, mas o árbitro anulou o lance por impedimento, Wagner fez 1 a 1 no Recife. O meia recebeu belo passe de Henrique e chutou cruzado, de primeira. O arremate foi forte e sem chances de defesa para o goleiro Eduardo.

Após o empate, o Náutico reagiu e voltou a atacar para recuperar a vantagem. O Cruzeiro tentava segurar a igualdade, e chegava com perigo quando subia ao ataque. Aos 20 minutos, Gilmar ia invadindo a área pela esquerda quando Henrique derrubou o atacante. O árbitro assinalou a penalidade, que Felipe cobrou, com paradinha, para por novamente o Náutico à frente no placar.

O gol deu tranqüilidade ao time da casa, que continuava bem postado na zaga e controlava bem a partida. Apesar de lutar muito, a equipe mineira seguia com dificuldades para chegar ao gol do Náutico tocando a bola, principal característica do Cruzeiro neste Brasileirão.

Ainda no primeiro tempo, Titi pelo Náutico, e Guilherme pelo Cruzeiro, criaram boas chances de gol, mas não conseguiram marcar. Já na segunda etapa, o time pernambucano conseguiu ampliar logo aos três minutos.

O zaga do Cruzeiro, que tinha sido modificada no intervalo, com a entrada de Thiago Martinelli no lugar de Léo Fortunato, deu bobeira geral e permitiu que Felipe recebe dentro da área, dominasse, e batesse na saída de Fábio, fazendo 3 a 1 nos Aflitos.

A vantagem de dois gols permitiu que o Náutico voltasse a ficar mais atrás, se arriscando somente nos contra-ataques. O Cruzeiro teve uma chance clara de fazer o segundo, quando Ramires, livre, errou a cabeçada no cruzamento de Wagner. Aos 27, foi a vez o time da casa ter a oportunidade de fazer o quarto. Ruy bateu de fora e o goleiro Fábio fez bela defesa.

Apesar de a equipe mineira seguir pouco criativa na partida, Wagner tentou um chute aos 30 minutos e a bola parou nos braços abertos de Hamilton, dentro da área. O árbitro marcou a penalidade e Guilherme foi para a cobrança. O atacante bateu bem e renovou as esperanças do Cruzeiro, que seguiu pressionando após o segundo gol.

Mas se tudo indicava que o Náutico sofreria pressão até o final da partida, o time pernambucano soube aproveitar os contra-ataques e definiu a vitória. Logo após entrar, Everaldo viu o gol aberto aos 38 minutos e não desperdiçou. Geraldo havia tentado o cruzamento e o goleiro Fábio não conseguiu abafar por completo, deixando a meta livre para o quarto gol dos anfitriões.

Antes do apito final, ainda houve tempo para o Náutico transformar a vitória sobre um dos melhores times do Brasileirão em goleada. Para afastar ainda mais a ameaça de rebaixamento, Gilmar aproveitou o cruzamento rasteiro de Felipe e fez 5 a 2, para a festa da torcida pernambucana nos Aflitos.

Ficha Técnica:

Náutico 5 x 2 Cruzeiro

Náutico - Eduardo; Adriano, Vágner e Titi; Ruy, Hamilton, Derley, William (Geraldo) e Alessandro (Everaldo); Gilmar (Kuki) e Felipe. Técnico: Roberto Fernandes.

Cruzeiro - Fábio; Jonathan (Carlinhos), Thiago Heleno, Léo Fortunato (Thiago Martinelli) e Fernandinho; Marquinhos Paraná, Ramires, Henrique e Wagner; Camilo (Thiago Ribeiro) e Guilherme. Técnico: Adilson Batista.

Gols - Gilmar, aos 4, Wagner, aos 18, e Felipe (de pênalti), aos 23 minutos do primeiro tempo; Felipe, aos 3, Guilherme (de pênalti), aos 31, Everaldo, aos 38, e Gilmar, aos 43 minutos do segundo tempo.

Cartões amarelos - Alessandro, Derley, Ruy e Vágner (Náutico); Ramires e Wagner (Cruzeiro).

Árbitro - Sérgio da Silva Carvalho (DF).

Renda e público - Não disponíveis.

Local - Estádio dos Aflitos, no Recife (PE).

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG