Não vou brigar com institutos, diz Dilma sobre pesquisas

A pré-candidata à Presidência pelo PT, Dilma Rousseff, disse nesta quarta-feira em entrevista ao jornalista José Luiz Datena, da TV Bandeirantes, que não vai brigar com institutos sobre pesquisa. Na semana passada, o PSDB entrou com representação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) contra o Instituto Sensus.

Ricardo Galhardo, iG São Paulo |

Eliane Leme/Band
Dilma concede entrevista ao apresentador José Luiz Datena

Dilma concede entrevista ao apresentador José Luiz Datena

O partido alega que o Sensus descumpriu o prazo estipulado por lei para divulgação do resultado da pesquisa. A legislação determina que o resultado seja divulgado 5 dias depois da inscrição da pesquisa no TSE. O Sensus inscreveu o levantamento no dia 5, mas alterou dados no dia 9. Portanto, na avaliação do PSDB, a pesquisa só poderia ser divulgada no dia 14, e não em 13 de abril como foi feito.

A pesquisa Sensus apontou empate técnico na corrida presidencial entre o tucano José Serra (33%) e a petista Dilma Rousseff (32%). Este foi o resultado mais apertado entre os dois candidatos.

"Eu não vou brigar com o instituto. Vou respeitar o instituto. Não se pode desconsiderar, mas não é a última palavra", disse. Questionada se a afirmação era uma resposta ao PSDB, Dilma disse que não. "Eu respeito a pesquisa e não acho que seja decisiva. Se me falarem que estou em cima, tudo bem. Mas se falarem que estou embaixo, não vou brigar", destacou.

Pesquisa Ibope

A pré-candidata pelo PT também comentou a pesquisa do Ibope, na qual aparece com 29% das intenções de voto contra 36% de José Serra , divulgada nesta quarta-feira. "Pesquisa é um sinal do momento. Os ventos mudam... Eu acredito que a pesquisa é um ponto, uma referência, mas não serve para dizer como vão ser as coisas daqui para a frente".

Leia também:

    Leia tudo sobre: dilma

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG