Não temos dúvidas de que vamos resgatar o padre, diz coordenadora da Pastoral

PARANAGUÁ - A coordenadora da Pastoral Rodoviária de Paranaguá e da paróquia São Cristovão, Denise de Gallas, de 44 anos, afirma ter plena convicção de que as equipes de resgate vão encontrar o padre Aderli de Carli, de 41 anos, que desapareceu na noite de domingo após tentar realizar um vôo amarrado a mil balões de festa. Ele tinha preparo físico e psicológico. Não iria se desesperar em uma situação de risco, acredita.

Redação com Agência Estado |


Reprodução
Padre Aderli de Carli momentos antes de voar
Denise conta que o padre era adepto de esportes radicais e praticava paraquedismo há pelo menos quatro anos, desde quando começaram a trabalhar juntos na paróquia. "Ele tinha conhecimento, fazia vôo de asa-delta e parapente também", diz.

Na opinião da coordenadora da Pastoral e amiga de Carli, a possiblidade de ele ter se afogado é mínima. "Ele estava bem equipado e foi sentado em uma cadeira flutuante", conta.

Segundo Denise, o padre tentou bater o recorde de 19 horas no ar e permanecer uma hora a mais. "Ele é uma pessoa muito determinada, viu um americano que fez isso e achou que seria possível. É um sonho que ele carregava há muito tempo", afirma.

Os fiéis da igreja se revezam em uma corrente de oração, que é realizada de forma ininterrupta desde o momento em que Carli lenvantou vôo, por volta das 13h de domingo.

O religioso pretendia pousar em Ponta Grossa, no Paraná. No entanto, chovia no momento em que ele saiu e o mau tempo fez com que fosse levado para o oceano. Às 14h45, os balões já tinham atingido 5.800 metros, o dobro para aquele ponto da viagem.

O último contato do padre com as equipes ocorreu às 8h45, quando ele avisou que estava pousando no mar, a cerca de 15 quilômetros a leste das Ilhas Tamboretes, a 5 quilômetros da costa da Ilha de São Francisco do Sul, litoral norte de Santa Catarina.

Buscas

As buscas foram retomadas na manhã desta terça-feira e são realizadas com o auxílio de quatro embarcações da Marinha, além de aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB) e da Polícia Militar.

De acordo com informações da Capitânia dos Portos de São Franscisco, por volta das 8h, as equipes localizaram possíveis vestígios de balões no mar, a 34 km de Porto Belo, em Santa Catarina.

Arte/US

1° vôo

Em 13 de janeiro deste ano, Carli realizou um vôo com a ajuda de 500 balões cheios com gás hélio. Ele saiu de Ampére, no sudoeste paranaense, atingiu 5.337 metros e desceu quatro horas e 15 minutos depois, a 110 quilômetros dali, em San Antonio, na Argentina.

Segundo ele, o recorde de altitude anterior era de 3,9 mil metros, de um norte-americano.

Trabalhos na paróquia

A paróquia São Cristovão foi fundada em 14 de fevereiro de 2004 e é formada por treze capelas. Além de missas no local, o padre realiza um trabalho de evangelização junto aos caminhoneiros.

Com a ajuda de um "caminhão-capela", a equipe também vai até postos de gasolina e conversa com os motoristas. "O padre trabalha muito, é muito atuante. Ele faz esportes radicais porque diz que não tem tempo para ficar na academia", afirma a amiga Denise.

Leia mais sobre: padre - balões

    Leia tudo sobre: acidentepadre

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG