Não há cidades isoladas em SC, diz ministro

O ministro das Cidades, Márcio Fortes, disse que em Santa Catarina hoje praticamente, não há mais nenhuma cidade isolada como estavam nos primeiros momentos pelas chuvas. Segundo o ministro, agora o problema é restaurar o fluxo normal dos veículos, sobretudo das cargas, porque as pessoas esquecem que a carga chega nas cidades via estrada, os alimentos, medicamentos, então esse fluxo não pode ser interrompido.

Redação com Agência Estado |


O ministro informou que o Exército e o Ministério dos Transportes estão agindo para recompor estradas e pontes nas regiões afetadas e estão em vigor também planos de logística alternativa, "de seguir por outras estradas para que as áreas não fiquem isoladas". De acordo com ele, várias cidades já foram objeto de ação rápida do governo nesse sentido.

Fortes contou que irá a Santa Catarina "só no meio da semana", porque o seu Ministério não está encarregado da parte emergencial. "Entramos no momento seguinte, para a restauração das casas, do saneamento, água, esgoto e de transporte urbano, envolvendo pavimentação", disse.

As chuvas no Estado já deixaram 100 mortos, de acordo com a Defesa Civil catarinense. Segundo o último boletim, 27.410 pessoas estão desabrigadas - pessoas que perderam tudo e precisam dos abrigos públicos - e 51.297 desalojados - os que podem contar com ajuda de vizinhos e familiares. Mais de 1,5 milhão foram afetadas e dezenove pessoas continuam desaparecidas.

Energia elétrica

Cerca de 11 mil imóveis permaneciam sem luz até às 16h desta sexta-feira no Estado catarinense, segundo a Centrais Elétricas de Santa Catarina (Celesc). A recuperação emergencial do sistema elétrico de Alta Tensão (AT) da Celesc restabeleceu 90% da rede na região de Blumenau. Porém, muitos imóveis ainda estão sem eletricidade, pois o sistema de Baixa Tensão (BT) está comprometido em várias áreas por dano às instalações residenciais e nos medidores.

Blumenau e Luis Alves são dois dos municípios mais afetados com a falta de energia elétrica. Os bairros de Progresso e Glória, em Blumenau, são os casos mais críticos. Há pontos em áreas específicas em que a empresa ainda não consegue entrar. Os deslizamentos e a fragilidade do solo continuam sendo o maior problema para realizar os trabalhos. Nas regiões de Blumenau, Salto e BR-470, entre os bairros Belchior e Fortaleza, os serviços tiveram que ser refeitos.

O sistema também está precário em parte do bairro Progresso, nas proximidades da Coteminas. Agora, cerca de 10% das unidades estão sem luz na cidade. A Celesc também conseguiu restabelecer o fornecimento de energia em 50% do município de Luis Alves. Desde terça-feira, estão energizados o Hospital e o Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (SAMAE).

Em Brusque, 97% do sistema foi religado e, em Gaspar, 94%. A expectativa da Agência Regional Blumenau da Celesc é que a loja de atendimento, no centro da cidade, seja reaberta na segunda-feira. Em toda região de Itajaí, menos de 0,5% das unidades consumidoras continua sem eletricidade. Os pontos mais críticos estão localizados nas comunidades de Morro do Baú, Brilhante e Balneário Camboriú. Cerca de 20 equipes de atendimento comercial iniciaram a troca de medidores atingidos pelas águas.

Leia também:

Vídeos

Leia mais sobre: Santa Catarina

    Leia tudo sobre: santa catarina

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG