Não é preciso nova lei para punir autores de grampos, diz Chinaglia

BRASÍLIA - O presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), disse que a legislação atual é capaz de punir autores de grampos ilegais. Para ele, alterações na Lei, como quer o Executivo, que envio projeto para o Congresso, e grande parte dos parlamentares, são bem vindas, mas não se pode usar a legislação como desculpa para a absolvição de criminosos.

Severino Motta - Último Segundo/Santafé Idéias |

"A Lei atual é suficiente para definir critérios e punir quem não cumpre esses critérios. O aperfeiçoamento é bem vindo, mas para haver punições não é preciso de outra Lei", disse.

Desde que a CPI dos Grampos anunciou a existência de cerca de 409 mil escutas ilegais, feitas em 2007, a alteração na legislação é um dos temas recorrentes.

Na Câmara tramitam diversos projetos, um de autoria do Executivo e outros do Legislativo. Um deles está na Comissão de Constituição e Justiça, e será priorizado, segundo informou Chinaglia.

O presidente se disse estarrecido com o grampeamento do presidente do Supremo, ministro Gilmar Mendes, e parlamentares. "Os grampos estão fora de controle". Apesar disso, ele não deve ordenar uma varredura nos telefones da Câmara.

"Fui informado, por especialistas do setor, que é preciso se ter cuidado até com varreduras, pois ela pode ser usada para a instalação de grampos", disse.

Leia Também:

Leia mais sobre: grampos

    Leia tudo sobre: cpi dos grampos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG